sexta-feira, 22 de setembro de 2017

Nota da vereadora Sofia Cavedon sobre o parcelamento de salários pela Prefeitura de Porto Alegre

Foto Leonardo Contursi/CMPA
A vereadora Sofia Cavedon, líder da bancada do PT na Câmara Municipal, reage as declarações do secretário municipal da fazenda, de que o município não tem condições de cumprir com a sua obrigação para com os funcionários municipais.

Sofia explica que: “Entre janeiro e junho o Município de Porto Alegre teve uma arrecadação de R$ 3.024.160.195,87 e uma despesa paga de R$ 2.656.484.321,02, com um superávit de R$ 205.132.599,03. No mês de julho o município teve uma receita de R$ 463.857.029,49 e uma despesa de R$ 439.393.745.56, o que caracteriza um superávit de 24.463.283,93 e, portanto, a possibilidade de o Município pagar os servidores municipais ativos, inativos e pensionistas em dia”.

Prefeito descumpre decisão judicial

 Ação movida pelo Sindicato dos Municipários de Porto Alegre (Simpa) teve liminar concedida pelo Juiz. Murilo Magalhães Castro Filho, da 5ª Vara da Fazenda Pública de Porto Alegre, determinando que o Prefeito Nelson Marchezan Júnior e o Município de Porto Alegre se abstivessem de parcelar a remuneração e proventos dos servidores e servidoras municipais ativos/as e inativos/as de Porto Alegre.

O recurso impetrado pelo município foi negado pela 4ª Câmara Civil, nos seguintes termos: “Diante da existência de norma legal expressa (art. 39 da Lei Orgânica do Município de Porto Alegre) que estabelece que “o pagamento mensal da retribuição dos servidores, dos proventos e das pensões será realizado até o último dia útil do mês a que corresponder”, não há discricionariedade possível de parte do Administrador quanto a cumprir ou não a lei, salvo efetiva impossibilidade material. Caso em que não há demonstração convincente por parte do Município acerca da suposta impossibilidade material de pagar a folha de pagamento dos servidores ativos e inativos até o último dia útil de cada mês. As despesas com pagamento dos servidores têm natureza alimentar e são prioritárias em relação a quaisquer outras”, afirma a decisão da 4ª Câmara Civil.

Sofia lembra que o prefeito está descumprindo a decisão judicial pelo terceiro mês consecutivo, gerando prejuízo para o erário público, já que a decisão judicial prevê o pagamento de multa, pela prefeitura, no valor de dez mil reais por dia de atraso. A líder da bancada do PT, com municipários e Simpa, representou junto ao Ministério Público para que seja investigado eventual crime de responsabilidade e improbidade administrativa por parte do prefeito Marchezan.

Simpa pede informações ao TCE sobre situação financeira do município

Assembleia Geral da categoria será dia 29/9 - Sexta-feira, às 18h, no Largo Zumbi dos Palmares.

Após protesto no Paço Municipal, Simpa pede informações ao TCE sobre situação financeira do município

A categoria municipária realizou, na tarde desta quinta-feira, 21, ato no Paço Municipal com caminhada até o Tribunal de Contas do Estado (TCE), onde foi entregue um pedido de informação, por parte do Simpa, com o objetivo de esclarecer a situação financeira e os gastos com pessoal em Porto Alegre.

Foto Simpa
Conforme destaca o ofício recebido pelo coordenador da assessoria da Ouvidoria do TCE, Airton Roberto Rehbein, o prefeito Nelson Marchezan Junior tem dito que a cidade está “falida” e que o gasto com pessoal chega a 55% das receitas. No entanto, o Portal Transparência da Prefeitura mostra outro índice, 49,22%, e relatório do TCE aponta o percentual de 42,51%.

A entrega do documento foi feita pelos diretores Luciane Pereira da Silva, Alberto Terres e Jonas Tarcísio Reis. O ato faz parte do conjunto de ações de mobilização da categoria contra o parcelamento dos salários, pela retirada do pacote do governo Marchezan e em defesa dos servidores e dos serviços públicos.

Fonte: Portal do Simpa.

Veja abaixo onde estão os projetos que atacam a categoria municpária e a cidadania!
Arte Marta Resing

Ocupação Mirabal fica até 2018 na Duque - Vitória das Mulheres!

Foto Estela Vilanova
Ocupação Mirabal, onde mulheres em situação de vulnerabilidade e violência são acolhidas, ganhou um fôlego até maio de 2018, a partir da ação das comissões de Diretos Humanos da AL e Câmara de Porto Alegre e das Procuradorias da Mulher. Levei proposta objetiva de usar prédio estadual como escolas estaduais fechadas e o município conveniar. Vitória das mulheres! - Sofia Cavedon.

A reunião, que envolveu os órgãos legislativos e teve a presença da secretária de Desenvolvimento Social do município, Maria de Fátima Paludo e organizações sociais, foi de mediação com as duas partes envolvidas na ação de reintegração de posse da ocupação Mirabal. O encontro ocorreu nesta quinta-feira (21), na Câmara Municipal de Porto Alegre.

Há 10 meses,o Movimento de Mulheres Olga Benário, junto com apoiadoras e apoiadores, resistem e existem na Rua Duque de Caxias, 380, na Ocupação Mulheres Mirabal. Local que foi ocupado com a intenção de dar auxílio à mulheres vítimas de violência e em situação de vulnerabilidade social. Agora, no dia 25 de setembro comemoramos mais um mês de resistência das Hermanas Mirabal que continuam vivas nas nossas lembranças e no reflexo da nossa luta diária.

Foto Estela Vilanova
Conforme Sofia, que levou proposta concreta para a mediação, a reunião foi muito boa, com resultados que ampliaram o prazo para 2018 - a reintegração estava marcada para o  próximo dia 26/9 - até 31 de maio/18, data que respeita as regras eleitorais, período em que os governos do Estado e Município deverão providenciar um dos seus imóveis próprios para a Ocupação Mirabal.

PL da Escola com Mordaça na pauta da CCJ na Câmara de Porto Alegre na terça, 26

Na terça-feira - 26/9 - às 10h, estará na pauta da reunião da Comissão de Constituição e Justiça do legislativo municipal, o projeto de lei Escola com Mordaça. A reunião será na Sala das Comissões no 3º andar da Câmara de Porto Alegre.

Em julho deste ano a Procuradoria da Câmara deu parecer apontando inconstitucionalidade do projeto “Escola Sem Partido”. No documento  o Procurador afirma ue o projeto extrapola prerrogativa do legislador municipal de organizar sistemas de ensino e interfere na autonomia do professor.

Leia mais: Parecer aponta inconstitucionalidade do “Escola Sem Partido” em Porto Alegre.


Pelo arquivamento do PL Escola da Mordaça em Porto Alegre

O mandato da vereadora Sofia Cavedon (PT) também apoia a iniciativa, pois o projeto representa o esvaziamento do processo educacional e da cidadania.

Assine agora!

Em Porto Alegre, o Projeto de Lei Escola Sem Partido (PLL 124/2016), de autoria de Valter Nagelstein - PMDB) ou "Lei da Mordaça", quer acabar com a liberdade de expressão na sala de aula, pois prevê que professores e alunos só possam discutir com a abstenção da emissão de opiniões de cunho pessoal dos professores, já que - segundo o projeto - "a emissão das mesmas poderia angariar simpatia a determinada corrente político-partidária-ideológica". Ou seja, temas como direitos iguais entre mulheres e homens, política, sexualidade e religião poderão ser barrados das escolas!

Sob o pretexto da neutralidade, o projeto quer colocar uma mordaça nos nossos educadores e alunos! Pior: quer criar um clima de medo nas escolas, onde o professor pode ser  processado se fizer atividades que possam estar em conflito com as convicções dos pais ou responsáveis pelos estudantes (Inciso V do Artigo 1º), funcionando como se fosse um tribunal pedagógico da inquisição. O PL pode ser aprovado a qualquer momento pela Câmara dos Vereadores! Reaja agora!

Apenas uma grande mobilização, com milhares de assinaturas entregues diretamente nas mãos dos vereadores poderá barrar a mordaça nas escolas.

Assine no link: https://www.escolasdemocraticas.minhaportoalegre.org.br/

Conheça aqui as ações de Sofia Cavedon na luta pela #EscolaSemMordaça.

Nota do PT - Justiça fiscal e social na alteração dos valores do IPTU em Porto Alegre

Norteados pelo princípio da justiça fiscal e social, a bancada do Partido dos Trabalhadores na Câmara Municipal Porto Alegre  está estudando detalhadamente o projeto de alteração nos valores do IPTU, pelo prefeito Nelson Marchezan Júnior (PSDB).

A liderança da bancada tem a confiança da direção do partido para ampliar as consultas e exercer a defesa da progressividade do imposto em questão.

Entretanto, percebemos que o projeto é contraditório e contém imprecisões importantes. Dentre outras coisas, não há previsão de alíquotas maiores para imóveis acima de R$ 1 milhão, fato que compromete a progressividade ao prever o mesmo valor para a classe média e a classe alta da cidade. Também não enfrenta o problema dos vazios urbanos, usados para a pratica a especulação imobiliária na cidade de Porto Alegre.

Foto Marta Resing
Por fim, há outra questão que inquieta o Partido dos Trabalhadores e sua bancada de vereadores. Quais benefícios trarão o aumento do IPTU para a cidade?  O aumento proposto no imposto trará maior na oferta dos serviços públicos à comunidade? O salário do funcionalismo público  não será mais parcelado? O Orçamento Participativo será retomado para definir coletivamente os investimentos na cidade? A intenção de privatizar o Dmae, a Carris e outros serviços será revista?

Com base nessas questões, a Comissão Executiva Municipal e a bancada de vereadores do PT convocam o Diretório Municipal em caráter extraordinário para o próximo domingo, 24 de setembro, às 18h (rua Lima e Silva, 140). Vamos aprofundar o debate e fechar questão sobre o tema do IPTU, que deverá entrar em votação ao longo da próxima semana. De antemão, firmamos compromisso com o princípio que sempre norteou o Partido dos Trabalhadores e as nossas administrações populares: o da progressividade, onde quem tem mais, paga mais. Quem tem menos, paga menos.

Bancada de Vereadores e Executiva Municipal do PT de Porto Alegre.

Veja também: 
Sofia pede informações sobre a planta de valores do IPTU de Porto Alegre
Audiência Pública debate o projeto de aumento do IPTU
Assista aqui a participação de Sofia Cavedon no programa Porto Alegre em Debate/TV Câmara que discutiu o projeto de lei do Executivo.

Ato Unificado d@s Servidor@s e Assembleia do Cpers

Na sexta-feira - 29 de setembro, após a Assembleia Geral educadoras e educadores do RS seguirão em caminhada para o ato público com o Movimento Unificado dos Servidores (MUS), no Largo Glênio Peres, engrossando a luta com servidores de diversos Sindicatos.

Assembleia Geral

O Cpers está chamando a todos (as) os educadores e educadoras a participarem da Assembleia Geral Extraordinária que será realizada no dia 29 de setembro, sexta-feira, no Gigantinho (Avenida Padre Cacique, 891), em Porto Alegre. A primeira chamada será às 8h30 e a segunda às 9h.

Neste dia vários Sindicatos que compõe o Movimento Unificado dos Servidores Estaduais (MUS), também irão realizar Assembleias com as suas categorias. Logo após, as assembleias milhares de servidores reuniram-se no Largo Glênio Peres para o Ato Unificado.

Dia 29 o chão de Porto Alegre vai tremer. Após nossa assembleia teremos um grande ato com todos os servidores públicos. Vamos mostrar para o Sartori a força dos servidores unidos como em 2015”, conclama a presidente do Cpers, Helenir Aguiar Schürer.

A Assembleia tem o objetivo de avaliar a mobilização da categoria.

Fonte: Portal do Cpers.

quinta-feira, 21 de setembro de 2017

Extinção das Fundações: sem acordo, nova mediação na Justiça do Trabalho fica para outubro

Foto TRT4
A reunião ocorreu com a mediação do Tribunal Regional do Trabalho. Novo encontro foi marcado para 3 de outubro
 
A Frente Jurídica em Defesa das Fundações apresentou, nesta quinta-feira, 21/09, a sua contraproposta de negociação ao governo estadual no caso da extinção das fundações gaúchas, em reunião no Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região (TRT4), em Porto Alegre.

Como não houve consenso sobre a situação, o desembargador João Pedro Silvestrin, do TRT4, sugeriu que o governo analisasse bem a situação e desse um retorno no dia 3 de outubro. Nova reunião ficou agendada para esta data.

A proposta da Frente é, basicamente, uma Programa de Demissão Voluntária (PDV) para todos aqueles que desejarem ser desligados. Esse foi o principal item que o governo contestou, ressaltando que não abre mão de demitir aqueles que considera não-estáveis, que, na conta do Estado, são 611 servidores.

Para a Frente Jurídica, se o objetivo é reduzir custos, é possível construir um plano com menos trauma para todos, que poderia ser até mais vantajoso financeiramente para a gestão.

Foto Douglas Roehrs/Sindjors
Mas a representante da Procuradoria Geral do Estado (PGE), procuradora Andreia Über Espiñosa Drzewinsk, deixou claro que o interesse do governo é concluir, o mais breve possível, o processo de negociação coletiva e, assim, finalizar as extinções, aprovadas em 2016 pela Assembleia Legislativa. Para o governo, os trabalhadores sem estabilidade deverão ser desligados.

O desembargador Silvestrin interviu dizendo que, com o PDV, surgiu uma possibilidade de, ao invés de desligar 611 não-estáveis, ter alguns estáveis na folha, mas ficar com alguns não-estáveis, de repente tendo a mesma economia. “O Estado tem que raciocinar um pouco em cima disso”, comentou.

As mediações foram conduzidas por Silvestrin, vice-presidente do TRT-RS, e contaram com a participação do procurador Paulo Eduardo Pinto de Queiroz, representando o Ministério Público do Trabalho (MPT).

A Fundação para o Desenvolvimento de Recursos Humanos (FDRH), a Fundação Zoobotânica, a Fundação de Economia e Estatística (FEE), a Fundação de Ciência e Tecnologia (Cientec), a Fundação Estadual de Planejamento Metropolitano e Regional (Metroplan), a Fundação Piratini, além da Corag, estão previstas para serem extintas conforme a Lei Estadual 14.982/2017.

Entre dezembro de 2016 e janeiro de 2017, decisões da Justiça do Trabalho gaúcha suspenderam as demissões em massa nessas instituições até que sejam concluídas as negociações com os sindicatos que representam as categorias.

O governo já ofereceu duas possibilidades: indenização com base na média salarial dos funcionários a serem desligados ou com base no valor recebido individualmente por cada funcionário, conforme folha de julho de 2017.

Corag

Foto Semapi
Logo após a reunião sobre as fundações, foi a vez da Companhia Rio Grandense de Artes Gráficas (Corag) debater a sua extinção. A Frente Jurídica é a mesma e trabalha da mesma forma para garantir o funcionamento da empresa. Na ocasião, ficou evidente que a situação da Corag é mais complexa e exige maior estudo, conforme o próprio desembargador comentou, sugerindo que uma nova reunião ocorra no mesmo dia (3/10), após a mediação das fundações.

Como a Corag repassa lucro aos cofres públicos todos os anos, há um obstáculo que impede a sua extinção. Sendo uma empresa Sociedade Anônima (SA), a lei impede a extinção de empresa SA lucrativa. Houve então um impasse na mesa, com o governo afirmando que só estava negociando as demissões a pedido dos sindicatos e a Frente Jurídica rebateu dizendo que “Não queremos que haja demissões sem negociação prévia. O que é diferente.”

Fonte: Portal Jornal Já.

Sofia Cavedon será palestrante no 1º Encontro de Mulheres da Fetee-Sul

O 1º Encontro de Mulheres da Federação dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino do Estado do Rio Grande do Sul (Fetee-Sul) ocorre nesta sexta-feira - 22/9 - na sede do Sinpro/RS (Av. João Pessoa, 919), em Porto Alegre.

 Foto Rozane Dalsasso
Sofia Cavedon e Maria do Rosário, parlamentares do PT, são as palestrates do painel "Vamos falar de violência contra as mulheres", que inicia às 14h30min.

Conforme a Comissão Organizadora, o encontro tem por objetivo, debater e propor ações capazes de promover a participação mais intensa das mulheres trabalhadoras em educação. "Debatendo seu papel na resistência ao golpe e suas reformas, assim como a importância da representatividade e do protagonismo das dirigentes sindicais no enfrentamento da atual conjuntura. A violência sofrida de forma muitas vezes velada e silenciosa em casa, no trabalho, nos espaços públicos também será abordada no encontro", disse a coordenadora  Margot Andras.

O encontro acontecerá durante o dia 22/09 das 8h30min às 17h30min. A programação  terá outra Mesa Temática que acordará "As Mulheres sindicalistas nesse Tempo de Resistência", com Carmen Foro, Mara Feltes e Isis Marques.

Fonte: Portal da Fetee-Sul.

Encontro das Setoriais do PT neste Sábado, 23

O Partido dos Trabalhadores do RS (PT) promove neste sábado (23/9) o Encontro das Setoriais: Agrária | Sindical | Educação | Cultura | Direitos Humanos| Energia e recursos minerais | Economia Solidária | Segurança | Pessoa com deficiência | Segurança Alimentar | Comunitária | Saúde | TI.

Será das 8h30 às 18h, na Escola Mesquita (Av. do Forte, 77 - Cristo Redentor - Porto Alegre).

O Encontro Estadual de Cultura será na Fetrafi - Rua Fernando Machado, 820/3º Andar. Pela manhã a Setorial estará reunida no colégio Mesquita.

Dez mil petistas já participaram dos encontros setoriais

Ao longo do mês de setembro, serão realizados mais de 250 encontros em todo país para definir as setoriais estaduais. A previsão é que outros 250 encontros sejam realizados para definir os novos secretários setoriais estaduais e, futuramente, nacionais.

Os Setoriais e as Secretarias Setoriais têm como objetivo principal promover diálogo entre o partido e os movimentos sociais, reforçando a participação do PT nas mobilizações e dialogando para a promoção de direitos e transformações em cada segmento da sociedade.

Entre o último sábado e domingo, dias 16 e 17 de setembro, por exemplo, foi realizado o processo de escolha das direções estaduais das Setoriais de Mulheres do PT. Mais de 5 mil mulheres participaram do processo. Em 23 estados foram eleitas as novas secretárias, exceto em Goiás, Mato Grosso, Minas Gerais e Santa Catarina, que irão votar em suas representantes entre os dias 23 e 24 de setembro.

Com informações do Portal do PT Nacional.

Garanta os Direitos dos Povos Tradicionais de Matriz Africana

A vereadora Sofia Cavedon (PT) convida para a próxima reunião-seminário da Frente Parlamentar em Defesa dos Povos Tradicionais de Matriz Africana, que se realizará dia 18 de setembro (Quinta-feira), às14h, no Plenário Ana Terra da Câmara Municipal de Porto Alegre, Av. Loureiro da Silva, 255.

O encontro terá as palestras sobre:

- Marco Conceitual - Com Tata Edson, coordenador político nacional da Teia dos Povos Tradicionais de Matriz Africana                      

- A conjuntura  na construção de atitude de resistência às violações de direitos, garantidos na Carta Universal de Direitos Humanos e os Acordos Internacionais que o Brasil é comprometido. Com Iyá Vera Soares, da Coordenação do Fonsanpotma/RS.

Saiba mais sobre a Frente Parlamentar em Defesa dos Povos Tradicionais de Matriz Africana.

Seminário sobre os 100 anos da Revolução Russa - Segundo encontro será dia 28 de Setembro

Reflexões sobre 1917: Repensar um século de socialismo

O segundo encontro do Seminário Reflexões sobre 1917: Repensar um século de socialismo, terá a participação do ex-deputado estadual, Flavio Koutzii, do ex-secretário do Tesouro Nacional, Arno Augustin, e da economista e pesquisadora do Cesit/IE/Unicamp, Marilane Teixeira; quando debaterão a temática: Crise do Capitalismo - Crise Civilizatório.

A segunda edição do Seminário iniciará às 19h do dia 28/9 (Quinta-feira), no auditório do SindBancári@s - Rua Gen. Câmara, 424 – Centro Histórico – Porto Alegre. No encontro será distribuída a segunda edição do Caderno Opção Socialista, que traz os artigos: Capitalismo do século XXI: Ponto sem retorno?, de Michel Husson - Os Estados na globalização neoliberal, de Jùlia Martí -  e Desta vez será pior: Da crise financeira de 2007-2008 ao próximo crash, de Francisco Louçã.

O Seminário, promovido pelos mandatos da vereadora Sofia Cavedon, deputado estadual Jeferson Fernandes, deputados federais Elvino Bohn Gass e Pepe Vargas, soma-se as inúmeras manifestações, conferências, seminários que neste ano registram os cem anos da Revolução Russa, em todo mundo.

Para as próximas edições já confirmaram presença em uma delas os e as convidadas/os: Céli Pinto, Raul Pont, Miguel Rossetto, Nalu Faria, Enéas de Souza, Margarida Salomão, Tatau Godinho, Tereza Campello, Aniger Ribeiro e Carlos Henrique Árabe.

Calendário
- 26 de Outubro – Quinta-feira - 3º Debate – Novas estratégias do Século XXI
- 23 de Novembro – Quinta-feira - 4º Debate – Partido e novas formas de participação
- 14 de Dezembro – Quinta-feira - 5º Debate – Reflexões sobre o Socialismo

Primeiro encontro

A primeira edição do Seminário sobre os 100 anos da Revolução Russa contou com a participação de Paulo Visentini e Eduardo Mancuso, que discorreram sobre A Revolução Russa de 1917. Assista aqui.

28 de Setembro - Dia Mundial de Luta pela Legalização do Aborto

Chamado à Ação - #UmGritoGlobal pelo #AbortoLegal

Enfrentamos um contexto global de ataques das forças conservadoras que tentam impor políticas que restringem, ameaçam e, muitas vezes, anulam direitos conquistados. No Brasil não é diferente. Bancadas religiosas nas casas legislativas (federal, estaduais e municipais) trabalham pelo desmonte de leis e políticas de equidade racial e de gênero, e que violam princípios de direitos humanos em especial das mulheres, da população negra e indígena e da população LGBTT.

Neste contexto as mulheres recebem ataques a sua liberdade e autonomia reprodutiva, sendo a prática do aborto um alvo privilegiado, mesmo nos casos em que esta prática é permitida por lei. O risco iminente é a aprovação da PEC 181 na Comissão Especial da Câmara. Esta PEC anula o direito ao aborto legal hoje vigente no Brasil.

Fernando Frazão/Agência Brasil
Se a Comissão Especial vier a aprovar a PEC 181, esta seguirá para votação no plenário da Câmara, uma ameaça inqualificável. As mulheres grávidas perderão o direito de optar por um aborto para salvar a própria vida; perderão o direito de optar por um aborto caso a gravidez seja decorrente de um estupro; e ficarão impedidas de abortar nos casos de gravidez de feto anencefálico, malformação que torna inviável a vida após o nascimento.

Obrigar mulheres a manter uma gravidez indesejada é uma gravíssima violação dos direitos das mulheres à autodeterminação sobre suas vidas. Entendemos que nenhuma mulher deve ser presa, punida, maltratada ou humilhada por ter feito um aborto.

Contra a criminalização das mulheres e pela legalização do aborto no Brasil!

#NemMortasNemPresas! #Vivaselivresnosqueremos!

Dia 28 de setembro vamos, mais uma vez, tomar as ruas e fazer ecoar nossa voz!

Acesse o Portal #AlertaFeminista

quarta-feira, 20 de setembro de 2017

3ª Mostra de Artes - Show com o Conjunto Bluegrass Porto Alegrense dias 29 e 20/9

A Mostra de Artes Cênicas e Música do Teatro Glênio Peres é uma iniciativa da vereadora Sofia Cavedon (PT), construída com o Sindicato dos Artistas do RS (Sated), e instituída por Projeto de Resolução da Mesa Diretora da Câmara Municipal de Porto Alegre.

Os ingressos, que são gratuitos, para o show com o Conjunto Bluegrass Porto Alegrense, que se apresenta na 3ª Mostra de Artes Cênicas e Música do Teatro Glênio Peres nos dias 29 e 30/9 (Sexta e Sábado), às 20h, estarão disponíveis na semana de 19 a 22/9, das 9 às 12 horas e das 14 às 18 horas, no Memorial da Câmara Municipal de Porto Alegre - Av. Loureiro da Silva, 255 - Térreo. Caso sobrem entradas, poderão ser retiradas no saguão do Teatro antes do início das apresentações. Classificação Livre.


Reprodução Facebook
Conheça o Bluegrass

Bluegrass é uma forma de música norte-americana com raízes na cultura dos imigrantes irlandeses, ingleses e escoceses. Tem como característica a execução através de instrumentos acústicos, onde os membros da banda tocam em volta de um único microfone.

Heine Wentz (violino e voz), Marcio Petracco (mandolin e voz), Ricardo Sabadini (violão e voz) e José Francisco Baronio (contrabaixo e voz) estudam a forma mais pura dessa espécie de música e a levam as pessoas na forma de canções, instrumentais e temas "à cappella".

Próximas atrações - Confira aqui as próximas atrações da III Mostra de Artes Cênicas e Música do Teatro Glênio Peres, promovida pela Câmara Municipal de Porto Alegre.