sexta-feira, 29 de junho de 2012

Neste Sábado - Oficina das Arpilleras - Tecendo a mudança da vida e da política

Durante as ditaduras militares na América Latina, o sofrimento imposto às mulheres criou inúmeras formas de resistência. Diante da dor e da censura, o protagonismo das mulheres foi fundamental não apenas para (re)construir a democracia, mas para manter viva a história das lutas que travaram.

 Através da Marcha Mundial das Mulheres conhecemos a arte das Arpilleras**, desenvolvida pelas chilenas. Essa técnica têxtil possui raízes numa antiga tradição popular e foi iniciada por um grupo de bordadeiras de Isla Negra, localizada no litoral central chileno. Assim, através do trabalho manual, envolvendo costura e reaproveitamento de materiais, essas mulheres criam uma forma peculiar de comunicar e resistir.

Para revigorar este espírito de resistência e superação, queremos contar mais sobre essas experiências. Inspirado nessa técnica e homenageando as brasileiras que lutaram pela democracia durante os Anos de Chumbo no Brasil, propomos a realização de oficina utilizando técnicas similares.

Oficina: tecendo a mudança da vida e da política 
Com a presença e debate do mandato da companheira Sofia Cavedon
Dia 30 de junho (Sábado) - das 9h30min às 12h 
Na Sebastião Leão, 213 - Cidade Baixa 

Queremos aprender um pouco desta técnica das Arpilleras**, transformando peças de roupas que expressam este sentido: o da resistência!

Programação: 
- Apresentação da história das Arpilleras** da Resistência Política Chilena (ppt)
- Oficina de Arpillera** (traga uma camiseta usada- de preferência uma que signifique uma campanha, uma luta, uma resistência - pois iremos customizá-las utilizando um pouco desta técnica)
Atenção: Traga agulha, linhas, retalhos, tesouras e o que mais sua criatividade mandar.

** Arpillera é uma técnica têxtil chilena que possui raízes numa antiga tradição popular iniciada por um grupo de bordadeiras de Isla Negra, localizada no litoral central chileno. A conhecida folclorista Violeta Parra ajudou a difundir este trabalho artesanal, e expôs uma série de arpilleras no Pavilhão Marsan do Museu de Artes Decorativas do Louvre, em 1964, tendo achado nesta técnica ”uma linguagem para poder transmitir histórias, sonhos e conceitos”.

Saiba mais ...
Fotos dos trabalhos
Oficina realizada pela Marcha Mundial das Mulheres