quarta-feira, 27 de junho de 2012

Sofia participa de ato que marca prédio de tortura na ditadura militar

foto divulgação SC
Quando passares por este adesivo, lembra de tantos que deram a vida, foram humilhados e exilados lutando pela democracia!” Sofia Cavedon 

A vereadora Sofia Cavedon (PT-PoA) participou nesta quarta-feira (27/6) do ato público de reconhecimento do Departamento de Ordem Política e Social (Dops) como local de tortura e morte durante o regime militar na Capital, promovido pelo Comitê Carlos de Ré, da Verdade e da Justiça.

foto divulgação SC
Prédio público é 'marcado' como centro de tortura em Porto Alegre

Porto Alegre é a primeira cidade brasileira a ter um prédio público marcado como centro de tortura durante a ditadura militar. Quem leu Operação Condor - O sequestro dos uruguaios, de Luiz Claudio Cunha, certamente não esquece que o mesmo local onde funciona o Palácio da Polícia tem na sua triste história um currículo de torturas e desrespeito aos direitos humanos.

Raul Ellwanger e Suzana Lisboa
O ato foi promovido pelo Comitê Carlos de Ré, que já havia marcado o prédio do dopinha, na Rua Santo Antônio. Adesivos foram colocados deste a calçada da Avenida João Pessoa por vítimas do golpe militar e autoridades como o ex-governador Olívio Dutra, o secretário de Segurança, Airton Michels e uma série de vereadores e deputados. Entre eles o último preso político, Antônio Losada. Os adesivos ingressam pelo prédio até checar ao cárcere onde a tortura era praticada, no térreo do prédio, onde funcionava o DOPS.

Leia mais no Blog do André Machado (Esquina Democrática)