quarta-feira, 26 de setembro de 2012

RS: vereadora faz santinhos com obras de arte para tentar reeleição

Por Mauricio Tonetto - Matéria publicada no Portal Terra desta quarta-feira/26

Sofia Cavedon (PT) distribui santinhos com obras de arte públicas para "educar" eleitores em Porto Alegre (RS)

Buscando o quarto mandato na Câmara de Vereadores de Porto Alegre (RS), a petista Sofia Cavedon inovou na campanha política deste ano ao distribuir santinhos com fotos de esculturas públicas espalhadas pela cidade. Segundo ela, são nove obras diferentes, escolhidas de acordo com "a territorialidade e temática", e que têm a função de educar os eleitores.

"Essas imagens têm a ver com meus projetos de trabalho, que são voltados para a cultura e o patrimônio cultural. Na presidência da Câmara, desenvolvi um projeto de preservação das esculturas públicas e toda a minha campanha é feita com prestação de contas e mobilização para essas temáticas. O material tem uma função educativa", explicou.

No verso dos santinhos, o nome da escultura e o autor são identificados e remetidos à frase "Tu tens escolha!" A ausência das propostas políticas, conforme a vereadora, ocorre porque o material é entregue junto a um folder com detalhes dos seus projetos.

"Nossa propaganda tem uma sequência. Primeiro apresentamos as ideias e provocamos o povo a fazer escolhas. Esse último material, extremamente sintético, remete ao começo da campanha e é entregue sempre com outro mais elaborado", disse Sofia Cavedon.

Na campanha de 2008, ela distribuiu santinhos com imagens de obras de arte mundialmente famosas, casos de pinturas do impressionista Monet. De acordo com a parlamentar, que participou da direção da Associação dos Trabalhadores em Educação do Município de Porto Alegre (Atempa) e foi vice-presidente do Sindicato dos Municipários de Porto Alegre (Simpa), todos os artistas foram contatados neste ano e incentivaram a ideia.

"A gente se certificou dos meios legais de garantir a exibição das obras. Depois que elas são colocadas nas vias públicas, são de domínio público. Mesmo assim, tivemos o cuidado de conversar com todos os artistas e eles se sentiram valorizados pela popularização da obra e ainda criticaram a falta de cuidado com seus trabalhos", garantiu. 

Publicado no Portal Terra.