quarta-feira, 17 de outubro de 2012

Sofia conhece projeto um computador por aluno no Uruguai

Foto Divulgação Ceibal
Participando da visita de conhecimento do Plano Ceibal, em Montevidéu, a vereadora Sofia Cavedon (PT-PoA), integrante da Comissão de Educação e Cultura (Cece) da Câmara Municipal de Porto Alegre, considerou “impressionante a estrutura física e de pessoal, que em cinco anos foi estruturada para a implantação do projeto de um computador por aluno no Uruguai.”

Sofia e Malu Pinto, coordenadora do Projeto Província de São Pedro da Secretaria Estadual de Educação (Seduc/RS), conduzidas pela economista Letícia Carzoglio e pelo psicólogo Martin Rebur conheceram na manhã desta quarta-feira (17/10) o processo “complexo e ousado”, como salienta Sofia, de implantação do projeto de inclusão digital que hoje chega a todos os alunos do primário e secundário no país vizinho.

Foto Divulgação Ceibal
“O curso aberto, presencial e virtual Artic - Aprendizagem em Rede com o Uso da Tecnologia da Informação e Comunicação – se mostrou um investimento fundamental na educação”, destaca a vereadora. “Não nos basta ofertar a tecnologia, queremos impactar a prática pedagógica”, afirma Martin, coordenador da formação docente. "Resultados aferidos empiricamente ainda não existem, (estamos iniciando o monitoramento neste ano) mas há notória mudança na motivação dos alunos em virem à escola e envolvimento no trabalho em aula e nas tarefas de casa" informa ele.

Aqui, destaca ainda Sofia, os computadores utilizados pelos alunos, para além da rede, permitem fotos, vídeos, desenho e texto. “Chegaram às escolas antes mesmo que a formação. Professores e alunos estão criando novas práticas, ao mesmo tempo em que apreendem a tecnologia”, frisa a vereadora.

Foto Divulgação Ceibal
Suporte 

O Plano Ceibal conta com grupos de suporte, como o "Aprender Tod@s", desenvolvido por Gabriela e Pablo, que estende às famílias a aprendizagem do uso dos computadores dos filhos, com temas de interesses dos adultos. Conforme Sofia, outro grupo fica no Centro Tecnológico do Uruguai, onde 250 pessoas, entre áreas técnicas e sociais/pedagógicas, fazem desde a formação docente, o atendimento logístico aos milhares de usuários até o fomento via concursos, olimpíadas e colóquios como o Ceibal.