sexta-feira, 30 de novembro de 2012

Alunos surdos querem permanecer no CMET

Foto Marta Resing
Comissão formada por mães, professores e alunos surdos do CMET Paulo Freire, manifestou ao prefeito, nesta sexta-feira (30/11), sua inconformidade com a proposta que o governo municipal está desenvolvendo de transferir todas as turmas educação de jovens e adultos/as surdos/as (EJA) do CMET para a Emef de Surdos Bilingüe Salomão Watnick, localizada no bairro Intercap.

Ao tomar conhecimento que o prefeito da capital estaria na Câmara de Vereadores, a Comissão que aguardava ser recebida pela secretária municipal de Educação, Cleci Jurach, sendo escoltada pela guarda municipal, conforme relataram as integrantes, dividiu-se em duas. Na Câmara, com o apoio da vereadora Sofia Cavedon (PT-PoA), a Comissão solicitou ao prefeito sua intervenção no problema, o qual Fortunati respondeu rispidamente que o debate deve ser encaminhado com a secretária municipal de Educação.

Foto Marta Resing
Para Sofia, o prefeito mostrou sua postura intransigente e “muita irritação ao receber alunos do CMET Surdos, jovens e adultos, que querem permanecer estudando no Centro, que é um lugar de formação e encontro da cultura surda, além de ter fácil acesso para as mães levarem seus filhos à escola”, destaca a vereadora. O CMET Paulo Freire está localizado no bairro Santana, na antiga sede do Colégio Santa Rosa de Lima.

Sofia também questiona a resposta do prefeito que disse “que a escola de surdos foi uma conquistada no Orçamento Participativo e que ele iria cumprir”. “Mas o prefeito não deve saber que a Salomão Watnick está adaptada para turmas infantis e os alunos surdos que estão no CMET são jovens/adultos que cursam o EJA”, salienta a vereadora. Ela lembra ainda que turmas de jovens e adultos/as surdos/as também é uma conquista da comunidade surda no Orçamento Participativo da cidade, em parceria com o núcleo de pesquisa em políticas educacionais para surdos da UFRGS e SMED/CMET.

A parte da Comissão que ficou na Smed foi recebida pela secretária que ouviu os argumentos. Também encaminharam solicitação a Comissão de Educação (Cece) da Câmara, a realização de uma audiência com os envolvidos para ampliar o debate.

Veja também: 
Trabalho com as diferenças - CMET Paulo Freire