quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

Audiência Pública debaterá a derrubada de árvores no entorno da Usina do Gasômetro

Audiência Pública na terça-feira (19/02), às 11h30min, no Ministério Público (Av. Aureliano de Figueiredo Pinto, 80), com a participação da Prefeitura, comunidade, Agapan, IAB/RS e Senge (Sindicato dos Engenheiros) e movimentos sociais, será realizada para ouvir a população sobre o projeto viário da Avenida Edvaldo Pereira Paiva e adjacências.

Foto Sandra Braz
Comissão de Moradores, representantes da Agapan e as vereadoras Sofia Cavedon (PT), Fernanda Melchiona (PSOL) e Marcelo Sgaborssa (PT) denunciaram nesta quarta-feira (13/02) a derrubada de 14 árvores no entorno do Gasômetro, no Centro Histórico, realizada em razão das obras da Copa do Mundo. A denúncia foi no Ministério Público ao promotor de Justiça de Habitação e Defesa da Ordem Urbanística de Porto Alegre, Fábio Sbardelotto.

Conforme Sofia Cavedon a comunidade ficou chocada com a derrubada das árvores de mais de 40 anos que perfazem a lateral da Avenida João Goulart e com a notícia do projeto de derrubada de mais 111 árvores no entorno. ”Segundo a Prefeitura seriam plantadas 401 mudas como medida compensatória no Parque Farroupilha, na Av. Osvaldo Aranha e na Rua da República. No entanto a população não entende esta medida como compensatória, já que as mudas demorariam no mínimo 20 anos para se transformarem em árvores de sombra e por que os locais escolhidos já são arborizados o suficiente”, destaca a vereadora. 

Ela enfatiza ainda “não somos contra medidas de escoamento de tráfego na região, mas acreditamos que existam outras formas de fazê-lo sem que seja preciso alterar o desenho das áreas públicas de lazer, que Porto Alegre tanto se orgulha. Pedimos um olhar mais criterioso sobre este projeto, com avaliação de engenheiros preocupados com o meio ambiente, a qualidade de vida da população local e um planejamento urbano sustentável e para as pessoas”.

Vale lembrar, enfatiza a vereadora, que segundo o Plano Diretor da cidade o conjunto das três praças do entorno da Usina do Gasômetro, Praça Julio Mesquita, Praça Brigadeiro Sampaio e a praça ao lado da Usina é considerado um parque de lazer, não podendo ser modificado sem consulta popular.

Ainda, no projeto de revitalização do Cais do Porto apresentado à população em 2012, a solução ao escoamento do tráfego daquela região aconteceria por uma via subterrânea, atravessando a Avenida Edvaldo Pereira Paiva. “Também lembramos o  Dr. Fábio Sbardelotto da luta do Movimento Viva o Gasômetro, em criar o Parque do Gasômetro, que está contemplado no Plano Diretor da cidade”, salienta Sofia.

Solicitações 

Na reunião os vereadores entregaram documento ao Promotor solicitando:

- a suspensão definitiva do corte planejado;
- a apresentação e discussão do projeto da Secretaria Municipal de Obras e Vias para aquela região com a população;
- o afastamento do Secretário do Meio Ambiente pela responsabilidade da autorização de tamanho crime ambiental, sendo esta apenas mais um num período extremamente curto
- só na trincheira da Rua Anita Garibaldi é quase uma centena de árvores;
- a abertura de ação penal que responsabilize criminalmente os mandantes de tamanha agressão ao meio ambiente. - o plantio de 14 árvores de tamanho semelhante às que foram cortadas, no mesmo local das antigas.

Reunião nesta quinta na Cosmam 

A derrubada de árvores da Avenida Edvaldo Pereira Paiva também é o tema da reunião da Comissão de Saúde e Meio Ambiente (Cosmam) marcada para as 9h30min desta quinta-feira (14/02) no Auditório Ana Terra, da Câmara Municipal de Porto Alegre.

Veja também:
Protesto contra o corte de árvores chega à prefeitura de Porto Alegre