quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013

Corte de árvores gera protestos no centro de Porto Alegre

Foto Mário Pepo
Smam justificou ação para viabilizar obras da Copa de 2014 perto do Gasômetro 

Estudantes subiram em algumas árvores para impedir o corte 

O corte de dezenas de árvores na avenida presidente João Goulart, em frente à Usina do Gasômetro, no Centro de Porto Alegre, provocou indignação e atos de mobilização entre moradores. Segundo a Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Smam), a retirada é necessária para viabilizar uma das obras da Copa de 2014, da duplicação da avenida Edvaldo Pereira Paiva.

Foto Mário Pepo
Para evitar que outras árvores fossem derrubadas, estudantes chegaram a subir em algumas para protestar. “Não vou sair até ter a garantia de que não será cortada”, disse o jovem Felipe Martini, de 23 anos. Ele contou que a cena de devastação foi colocada por um amigo no Facebook, o que gerou a mobilização. “É inaceitável esse tipo de situação”, lamentou.
Foto Mário Pepo

Enquanto isso, moradores que passavam no local se mostravam desolados com o cenário de devastação com a retirada das árvores. “É um crime contra a cidade. Não é possível aceitar isso”, afirmou a professora Ieda Coelho, que diariamente passa no local. “Retiraram todas as árvores. Aqui é nossa área de lazer. As árvores estavam aqui há décadas. É um crime ambiental”, esbravejou Ana Paula Crippa, que mora no entorno.

Vereadora acionou Ministério Público

Foto Mário Pepo
A vereadora Sofia Cavedon (PT-PoA) acionou o Ministério Público para tentar conter o avanço da retirada das árvores. Ela adiantou que o ato representa um crime ambiental e que levará para debate na Câmara de Vereadores. “É um absurdo um ação dessa da prefeitura sem haver nenhum aviso”, afirmou.

Foto Mário Pepo
A estimativa é de que cerca de cem sejam retiradas. Como compensação, a Smam anunciou que haverá o plantio de 400 outras unidades. Em função da quantidade de galhos na rua, o trânsito ficou complicado na avenida João Goulart.

Matéria publicada no Portal do Correio do Povo.