terça-feira, 19 de março de 2013

Corte de árvores - Audiência Pública lota plenário da Câmara

Foto Ederson Nunes/CMPA 
Sofia Cavedon (PT-PoA) apontou alterações em obras para preservar o patrimônio ambiental e cultural. “Não podemos ter uma via com seis mãos no meio de um parque previsto no Plano Diretor”.

Corte de árvores prossegue, mas prefeitura discutirá compensação e parque no Gasômetro 

Foram mais de três horas de acalorados discursos na audiência pública realizada na noite desta segunda-feira (18/3), na Câmara Municipal de Porto Alegre. Em debate, o projeto de ampliação da Avenida Edvaldo Pereira Paiva (Beira Rio).

A polêmica ganhou corpo quando a prefeitura iniciou o corte de árvores, na praça Júlio Mesquita, no começo de fevereiro. As galerias do plenário ficaram lotadas, e muita gente ainda ficou em pé. No fim, o vice-prefeito Sebastião Melo (PMDB) anunciou a retomada dos cortes.

A prefeitura, porém, aceitou discutir novas formas de compensação ambiental e também a criação do Parque da Usina do Gasômetro, que está previsto no Plano Diretor da Capital. Mas até os encaminhamentos finais, passaram pela tribuna mais de 20 pessoas, entre elas, nove vereadores. 

Encaminhamento 

Foto Ederson Nunes/CMPA 
Como encaminhamento, a promotora Ana Maria Moreira Marchesan pediu que o município suspendesse o corte das arvores por mais alguns dias. “Tenho certeza de que o Executivo não vai se furtar a discutir este tema com o Ministério Público. Vamos tentar fazer uma mediação, pois o progresso implica opções. Ficou claro que a sociedade está bastante dividida, mas temos uma amarração legal que não pode ser atropelada”.

Como resposta, a prefeitura propôs a constituição de um grupo de trabalho para colocar em prática a criação do Parque Usina do Gasômetro. A primeira reunião deve ocorrer na quarta-feira (20/3). O vice-prefeito  também assumiu o compromisso de discutir a quantidade de mudas como compensação e os locais onde elas serão plantadas.

Leia a íntegra da matéria no Portal da CMPA