quinta-feira, 28 de março de 2013

Grupo de trabalho debate a criação do Parque do Gasômetro

Toda a área em debate está abrangida pela Área de Interesse Cultural, que determina parâmetros de preservação cultural e ambiental: solenemente desconhecida pela obra que atinge não só as árvores, mas a ambiência cultural no entorno da Usina.” – Sofia Cavedon

Foto Ederson Nunes/CMPA
Nova reunião ocorrerá na sexta-feira - 05 de abril, quando a Prefeitura Municipal deve apresentar sugestões de perímetro e do marco legal. 

O grupo de trabalho que discute a criação do novo Parque do Gasômetro esteve reunido pela segunda vez, nesta quarta-feira (27/3), na Câmara Municipal de Porto Alegre. A criação do parque prevê melhorar o acesso das praças Júlio de Castilhos e Brigadeiro Sampaio à orla da Usina do Gasômetro, no Centro Histórico.

Cinco entidades da sociedade civil, a Associação Gaúcha de Proteção ao Ambiente Natural (Agapan), o Instituto dos Arquitetos do Brasil (IAB-RS), o Movimento Viva Gasômetro, a União das Associações de Moradores de Porto Alegre (Uampa) cobraram da prefeitura, durante a reunião, mais agilidade no projeto para a criação do Parque do Gasômetro.

A coordenadora do Movimento Viva Gasômetro, Jacqueline Sanchotene, que faz parte do grupo de trabalho, comenta que a prefeitura cogitou substituir a execução de uma trincheira na Avenida Presidente João Goulart por passarelas nos moldes da existente no Parcão. A proposta inicial das organizações ambientais é de rebaixar a via formando um gramado que interligue as áreas atualmente separadas pela avenida.“Houve um retrocesso da reunião passada para esta. Não vamos aceitar passarelas, pois um estudo prevê uma trincheira e por cima um grande gramado”, comenta Jacqueline.

Segundo a vereadora Sofia Cavedon (PT), desde o dia 6 de fevereiro não houve uma sinalização da prefeitura para flexibilizar a obra. “Venho para a reunião para repetir as mesmas coisas de sempre”, disse. A vereadora petista disse que “é inacreditável que o corte de árvores prossiga sem a prefeitura aguardar as definições das diretrizes do Parque, que implica a integração de duas praças, a Julio Mesquita e a Brigadeiro Sampaio, com a Orla do Guaíba, conforme o texto do Plano Diretor”.

Veja a íntegra da matéria no Portal da CMPA.

Veja também:
Justiça determina suspensão do corte de árvores na área da Usina do Gasômetro