quarta-feira, 10 de abril de 2013

Corte de árvores: Justiça mantém suspensão

Foto Divulgação SC
Pasmem! O projeto da Orla do Jaime Lerner, apresentado pelo governo municipal como projeto alternativo ao do Parque do Gasômetro, transfere o estacionamento da Usina para a praça! E iam licitar sem audiência pública, pararam por causa do movimento!” – Sofia Cavedon

Sofia Cavedon, vereadora do PT da capital, participou na manhã desta quarta-feira (10/04), da audiência de conciliação da 10ª Vara da Fazenda Pública no Foro Regional, no bairro Tristeza, entre o Ministério Público e a Procuradoria-Geral do Município.

Conforme Sofia, o presidente do IAB-RS, Tiago Holzmann da Silva, “único que pode falar por nós, além do MP, afirmou que a intransigência de três pistas para a Edvaldo não tem sustentação! Mas como fazer entendimento se o governo desconhece que o plano diretor prevê a integração da Orla com as praças e eles seguem separando!”, enfatiza a petista.

Na audiência o executivo municipal apresentou o projeto do Jaime Lerner, dizendo que está aprovado pelo Conselho do Plano Diretor, “e que sabemos que há muita controvérsia”, afirma. Sofia disse ser impossível haver entendimento quando a proposta do prefeito é colocar estacionamento na praça Julio Mesquita e seis pistas que os separam da Orla.”

Veja também: 
Corte de árvores no entorno da Usina do Gasômetro segue suspenso

Foto Ricardo Giusti/CP
Não houve acordo entre o Ministério Público e a Prefeitura de Porto Alegre O corte de árvores no entorno da Usina do Gasômetro, em Porto Alegre, seguirá suspenso. A decisão foi tomada após uma audiência de conciliação realizada na manhã desta quarta-feira na 10ª Vara da Fazenda Pública no Foro Regional, no bairro Tristeza, na zona Sul da Capital. As partes – Ministério Público e Procuradoria-Geral do Município – não entraram em um acordo. O encontro foi mediado pela magistrada Nadja Mara Zanella.

A Prefeitura de Porto Alegre pretende cortar 115 árvores para concluir a obra da duplicação da avenida Edvaldo Pereira Paiva, a Beira-Rio. O Ministério Público, através das promotoras de Justiça de Defesa do Meio Ambiente Annelise Monteiro Steigleder e Ana Maria Moreira Marchesan, pede que o Executivo implante, mediante o que prevê a revisão do Plano Diretor de 2010, o Parque Corredor do Gasômetro. A duplicação da Beira-Rio, entre a Rótula das Cuias e a Praça Júlio Mesquita, é uma das obras previstas para a Copa do Mundo de 2014.

A polêmica começou em fevereiro, quando 14 árvores foram derrubadas, o que gerou revoltas de moradores da região e entidades ligadas à causa de proteção ao meio ambiente. Três pessoas chegaram a subir nas árvores que ainda seguiam em pé para protestar contra o corte. Como compensação, a prefeitura da Capital promete deve plantar 401 mudas, sendo 60 dessas foram colocadas em março no Parque da Harmonia.

O prefeito José Fortunati destacou, na época, que em só ano ano passado foram plantadas mais de 25 mil mudas na Capital, e lamentou que ninguém falava sobre isso. Conforme o secretário do Meio Ambiente da Capital, Luiz Fernando Záchia, o projeto de duplicação da Beira-Rio prevê ainda o plantio de 1,8 mil árvores.

Fonte: Rádio Guaíba e Correio do Povo

Onde estão as árvores? 

Bairro Bom Fim
O portal Amigos da Rua Gonçalo de Carvalho questiona: O prefeito diz que foram plantadas muitas árvores, mas o número de árvores urbanas continua caindo em Porto Alegre. Basta caminhar pelas ruas para que se perceba que muitas árvores foram cortadas pela SMAM e nenhuma foi plantada nesses locais. O chamado "plantio compensatório" foi feito onde? No Lami?

Acesse o Portal Amigos da Rua Gonçalo de Carvalho