quinta-feira, 23 de maio de 2013

Corte de Árvores - Hoje tem caminhada às 18h - Juntos somos fortes!


Juntos somos fortes!

Estudantes, Arquitetos, Ambientalistas, Moradores e Movimentos Sociais organizados. 
Junte-se aos que querem uma cidade sustentável!

Nova caminhada nesta quinta-feira (23/5), às 18h, saindo a frente da Prefeitura. 

Razões contra a duplicação da Av. Edvaldo Pereira Paiva 
Por Nazareth Agra Hassen

1. O alegado congestionamento de tráfego não existe. Nem mesmo nas sextas-feiras à tardinha o trânsito para. Apenas se torna mais lento. Nessa ocasião, poderia ser feita a inversão de sentido de pistas (sem custo financeiro, ambiental e social)

2. É um absurdo que nosso dinheiro vá para uma obra desnecessária quando poderia ir para escolas, saúde e segurança.

3. A obra prejudicará a cidade ao criar no mínimo seis pistas separando a comunidade da Usina do Gasômetro, tornado as vias mais perigosas com a alta velocidade de automóveis.

4. Atravessar a pé a avenida será ainda mais penoso e difícil principalmente para todos e em especial para crianças, grávidas, idosos e pessoas com deficiência.

5. Em nenhum lugar do mundo se criam free-ways no seu centro histórico. Ao contrário, criam-se praças onde havia trânsito.

6. A Prefeitura poderia investir nosso dinheiro em transporte público que diminuiria o número de carros individuais no Centro Histórico (é o que fazem as cidades que optaram por se humanizarem ).

7. Essa oposição à obra não é só de ambientalistas. Somos moradores e cidadãos de Porto Alegre, que vivemos a cidade e nos informamos sobre cidades mais humanas.

8. As mais de cem árvores que querem cortar são necessárias para todos, pois são adultas, levaram décadas para chegarem a este ponto, fornecem sombra, mantêm flora adaptada, entre muitos outros benefícios.

9. Se a Prefeitura tem capacidade para plantar mais milhares de árvores, por que não as planta independentemente de compensação?

10. No passado, foi a população que impediu que prefeituras anteriores derrubassem o Mercado Público (em nome do “progresso”) e também a implosão da Usina do Gasômetro para ali passar uma avenida. Então não somos do contra, talvez sejamos pessoas com alguma informação a mais do que as pessoas que se deixam iludir pela mídia.

11. Também no passado a população abraçou o Guaíba não contra a avenida Beira-Rio, e sim para impedir os espigões e postos de gasolina projetados para toda a orla.

12. A cidade fica mais feia quando tomada por grandes avenidas.

13. Mais asfalto = menos permeabilidade = mais alagamentos = mais desconforto térmico.

14. Queremos um desenvolvimento de cidade centrado no ser humano e não no lucro e na máquina.

Fonte: Blog do IAB/RS.