quarta-feira, 8 de maio de 2013

Educação Infantil – Situação nas escolas municipais é grave

Foto Elson Sempé Pedroso/CMPA
Sofia Cavedon, vereadora petista da capital e presidente da Comissão de Educação (Cece), da Câmara de Porto Alegre, denunciou nesta quarta-feira (08/05) na tribuna da Casa Legislativa, que a situação nas escolas municipais continua calamitosa principalmente devido à falta de pessoal.

 “A Comissão está desde fevereiro visitando a Educação Infantil do município e percebeu que a situação está calamitosa com turmas de berçário com apenas um educador, pessoal da limpeza com desvio de função, turmas de maternal II com um educador cuidando de 18 crianças, algumas com inclusão”, destacou a vereadora.

Conforme Sofia a Secretária de Educação do município já foi convidada a prestar explicações e apresentar perspectivas junto à Comissão. Mas, diz a vereadora, “depoimentos que chegam nos acelera a fazer o balanço dos primeiros meses de visitação e encaminhar as denuncias aos responsáveis e aos órgãos de controle. É desumano, o pessoal esta adoecendo cada vez mais", enfatizou a presidente da Cece.

Foto Ederson Nunes/CMPA
No balanço a Comissão de Educação detectou duas questões que, segundo Sofia, “saltam aos olhos”: uma, a rede própria da prefeitura, que é uma rede formada por 41 instituições de Educação Infantil, turno integral; é uma rede pequena em relação à rede de creches comunitárias conveniadas, que são 215 ou 216. Mesmo sendo pequena, é uma rede que sofre muito com a falta de pessoal. “Quando visitamos a primeira creche achamos que o problema era localizado; depois, através das visitas, de denúncias por email e da categoria, confirmamos que há um problema seriíssimo de pessoal nas EMEIs do município, que atende em turno integral, crianças de zero a cinco anos”.

Estagiários como solução 

Sofia lembrou que o concurso para monitores caducou. “Já era para ter sido organizado outro concurso para que se tivesse outro adulto ao lado dos professores, hoje as EMEIs estão com um número exarcebado de estagiários cuidando das crianças de zero a cinco anos”, afirmou a presidente da Cece. “Em muitos casos são três vezes mais estagiários do que funcionários contratados, e os monitores adultos estão ficando sozinhos com grandes grupos de crianças”, enfatizou a vereadora.

Sofia, que já foi titular da Smed na Administração Popular, afirma: “Nunca vi uma situação dessas nas escolas infantis próprias do município, e estamos acendendo o sinal vermelho faz tempo. Não sei como a Secretaria vai resolver, mas é inaceitável esta situação da Educação Infantil na cidade de Porto Alegre.”

Veja aqui a íntegra da manifestação de Sofia.