quinta-feira, 6 de junho de 2013

Alunos surdos continuam a luta para permanecer na CMET Paulo Freire

Os alunos surdos querem ficar no CMET e o prefeito, através da secretária de educação, nega este direito e conquista deles!” – Sofia Cavedon

Foto Divulgação Gabinete
A Comissão de Educação, Cultura, Esporte e Juventude (Cece) da Câmara Municipal de Porto Alegre, presidida por Sofia Cavedon, esteve no Centro Municipal de Educação do Trabalhador (CMET) Paulo Freire, na manhã desta quinta-feira (6/6). A escola, que fica no bairro Santana, está no centro de uma polêmica envolvendo a Secretaria de Educação (Smed) e pais de alunos surdos.

O tema já foi discutido em três reuniões da Cece, nos dias 11 e 18 de dezembro do ano passado e também em 26 de março de 2013. A comissão analisou a possibilidade de transferência dos alunos surdos para a escola municipal de Ensino Fundamental (EMEF) bilíngue Salomão Watinik, no bairro Intercap.

Foto Desirée Ferreira/CMPA
Ao chegarem ao CMET, os vereadores Sofia Cavedon (PT) e Tarciso Flecha Negra (PSD) foram recebidos pelo diretor Gilberto Maia. Em frente ao prédio, um grupo de pais esperava com cartazes pedindo a permanência dos filhos no local. “Em tempos de inclusão, estão excluindo os surdos. Não há infraestrutura para recebê-los na Salomão”, reclamou Eliazar Nascimento Júnior, pai de Leandro Rosa, de 27 anos.

Com apoio da professora Márcia Abreu, que traduziu as falas na Língua Brasileira de Sinais (Libras), os vereadores acompanharam os relatos dos próprios alunos sobre as falhas de infraestrutura na Salomão, e pedidos para que a troca de escola não seja realizada. A professora também lembrou que o CMET atende surdos há cerca de 15 anos. “Não há contrariedade com relação à escola Salomão. Mas queremos que os alunos tenham o direito de permanecer aqui se assim optarem”, afirmou.

Foto Divulgação Gabinete
Segundo Sofia Cavedon, nos próximos dias, a Cece fará uma visita à escola Salomão para conhecer o local. As visitas servirão para avaliar as condições dos dois locais, visto que pais e alunos surdos reclamam da transferência do CMET para a escola Salomão, que não apresenta a mesma infraestrutura, segundo eles.

A presidente da Comissão de Educação destaca ainda que os alunos estão “sem garantia de matrícula onde querem e estudam há tantos anos”. 

Fonte: Portal da CMPA.

Foto Marta Resing
Veja também: 
30 de novembro de 2012
Alunos surdos querem permanecer no CMET
11 de dezembro de 2012
Alunos surdos querem ficar no CMET Paulo Freire
18 de dezembro de 2012
Cece volta a debater situação dos alunos surdos do CMET Paulo Freire
27 de março de 2013
Alunos surdos querem continuar estudando no CMET Paulo Freire