terça-feira, 4 de junho de 2013

Relatório da Cece aponta falta de monitores e professores na rede municipal

Comissão continua recebendo até o final desta semana (07/6), por escrito, as necessidades de cada escola da rede municipal, que devem ser encaminhadas pelo email cece@camarapoa.rs.gov.br ou CECE - avenida Loureiro da Silva, 255 – 3º andar. 

Foto Francielle Caetano/CMPA 
Em sua reunião ordinária da semana, a Comissão de Educação, Cultura, Esporte e Juventude (Cece) da Câmara Municipal apresentou, nesta terça-feira (04/06), relatório dos primeiros meses do ano onde ficou constatada a falta de monitores e professores na rede municipal de ensino de Porto Alegre.

A presidente da Comissão, vereadora Sofia Cavedon (PT), estranhou a ausência da Secretaria Municipal de Educação (Smed), que segundo ela demonstra “a falta de compromisso da Secretaria com o Legislativo Municipal, em especial com a Comissão de Educação, pois foi agendado e avisado com tempo suficiente para ao menos um representante da Smed estar presente na audiência, que tratou um assunto tão sério para os porto-alegrenses”.

O encontro discutiu a necessidade de recursos humanos na rede municipal de ensino (RME) e a realização de concurso para monitores para educação infantil. Já o relatório foi realizado após de uma série de visitas da comissão a escolas municipais e creches comunitárias, que apontou a falta de profissionais na educação infantil.

Relatório

Foto Francielle Caetano/CMPA 
A Cece elaborou um relatório com 22 páginas que teve como objetivo reunir estudos, informações e ações desenvolvidas ao longo dos meses de fevereiro e abril, sobre a demanda e oferta da educação infantil. “É urgente que a Secretaria Municipal de Educação providencie novo concurso”, disse a diretora geral da Associação dos Trabalhadores em Educação do Município de Porto Alegre (Atempa), Maria Regina Duarte Scherer.

Sofia informou que Porto Alegre possui hoje uma defasagem de 119 professores na rede de ensino. “Também há problemas com turmas e horários reduzidos”, disse a presidente da Cece disponibilizando dados da Atempa que mostram que 21 Emeis necessitam de mais profissionais da área e entre as escolas de ensino fundamental (Emefs) apenas cinco disseram não haver necessidade de pessoal.

A diretora geral da Atempa esclareceu que a contratação de professores é uma reivindicação recorrente da categoria e no dia 15 de julho expira o concurso. “Diante do final do concurso, é muito importante providenciar a nomeação”, salientou Maria Regina. A Atempa informou também que os profissionais dificilmente vão cumprir uma jornada de trabalho de dez horas numa escola. “O professor não vai ter condições de participar da reunião pedagógica. Além de ter um problema com relação ao pessoal, daqui a pouco temos que começar a nos preocupar com a situação pedagógica de planejamento dessas escolas, que vão contar com um número grande de profissionais com tempos pequenos dentro da escola que impossibilita um trabalho coletivo”, afirmou. Para Sofia a surpresa foi a informação que desde março a Smed não informa os regimes que estão abertos para os professores suprirem os horários.

Pedido de Informações

No final da reunião, Sofia Cavedon encaminhou Pedido de Informações (PI) para a Secretaria Municipal de Educação (Smed), solicitando informações sobre:

- quantos profissionais estão faltando na rede municipal de ensino e quais providências estão sendo tomadas?
- qual a política de recursos humanos para as linguagens da arte, uma vez que os concursados chamados na sua maioria foram para as artes plásticas e música, sendo que o teatro continua com defasagem?

Conforme a vereadora, “a Cece quer garantir qualidade na rede municipal e ampliar o atendimento”.

Fonte: Portal da CMPA.