quinta-feira, 18 de julho de 2013

Ocupa Câmara - Vitória do Movimento Social

"Fechado o acordo, vibra a galera que coloca a tramitar projeto de sua autoria. Manda o passe livre para o prefeito e sai chamando ato amanhã na frente da prefeitura!" - Sofia Cavedon 

Após assinarem o acordo na audiência de conciliação realizada nesta quarta-feira (17/7) no Foro Central de Porto Alegre, o Movimento coordenado pelo Bloco de Luta pelo Transporte Público, está deixando a Câmara de Vereadores e no final do dia, a partir das 18h, realiza ato público em frente a Prefeitura da capital.

Foto Leonardo Contursi/CMPA 
Como foi a audiência: 

Após uma longa audiência de conciliação, projetos do Bloco de Luta devem ser encaminhados e plenário liberado (Jornal do Comércio)

De um lado, vereadores que reivindicavam a reintegração de posse da Câmara Municipal de Porto Alegre, ocupada desde a quarta-feira passada pelo Bloco de Luta pelo Transporte Público. Do outro, integrantes do grupo e vereadores que apoiavam a ocupação. Foi assim que teve início a longa audiência de conciliação realizada ontem no Foro Central de Porto Alegre, que culminou em um acordo assinado por ambas as partes, determinando a desocupação completa do espaço até a manhã de hoje e a garantia da apresentação dos projetos de lei elaborados pelo grupo.

As discussões começaram antes mesmo de a audiência iniciar oficialmente. O vereador Professor Garcia (PMDB) chegou ao local gritando e, em tom irônico, disse que estava invadindo o Judiciário. “Eu quero ver como ela vai decidir”, se referindo à juíza Cristina Luísa Marchesan da Silva, que foi responsável pela suspensão da reintegração e convocou a audiência. Já dentro do plenário do Foro, alguns vereadores voltaram a se exaltar e foram contidos pela juíza.

Processo para acordo entre vereadores e ativistas demorou a avançar

Somente depois de muita discussão, os integrantes do Bloco se comprometeram a sair, metade deles, na noite de ontem, e o restante, até as 9h de hoje, para acompanhar o protocolo dos projetos que seriam apresentados pelos vereadores favoráveis às ideias do grupo. Mesmo assim, o presidente da Câmara seguia reivindicando a desocupação total ainda na noite de ontem. Após muitas críticas de vereadores da oposição e conversas com vereadores da base aliada, Duarte cedeu e assinou o acordo, que incluía ainda a entrega do plenário limpo pelos manifestantes e a criação de um grupo de trabalho do Bloco para acompanhar a tramitação dos projetos. A tendência era de que a decisão dos manifestantes presentes na audiência fosse confirmada pela assembleia que seria realizada à noite no plenário da Câmara, mas em caso de descumprimento do acordo, o processo de reintegração voltaria à juíza Cristina Luísa Marchesan da Silva.

Leia a íntegra da matéria no Portal do Jornal do Comércio.

Veja também: Assembleia do Movimento aprova o acordo