segunda-feira, 5 de agosto de 2013

Araújo Vianna – Sofia recebe apoio de produtores culturais da cidade

Foto Mario Pepo
Nesta segunda-feira (05/8), a vereadora petista da capital, Sofia Cavedon, esteve no Ministério Público de Contas (MPC), acompanhada de produtores culturais da cidade que foram apoiar os questionamentos levantados por ela referente ao uso do Auditório Araújo Viana pela atual concessionária, Opus Produções. 

Conforme documentos entregues por Sofia, existe uma "distorção" no modo como o Araújo Viana vem sendo gerido, pois as regras impostas pelo edital estão sendo modificadas após a licitação. "Os produtores estão se somando ao nosso questionamento para que haja um ajustamento da atual concessão ao contrato." 

A vereadora acrescentou que os produtores criticam também que, por ocasião do lançamento do edital há cerca de seis anos, havia uma série de exigências que não estariam sendo cumpridas e que impediram de empresas concorrerem.

Cumprimento do edital

Em matéria publicada no site da Secretaria Municipal de Cultura (SMC), sobre o evento que marcou os 48 anos de existência do auditório Araújo Vianna, realizado no dia 20 de setembro de 2012, o secretário da épóca e de um dos proprietários da empresa vencedora do edital afirmavam o cumprimento das cláusulas denunciada por Sofia ao MPC.

"A divisão do calendário entre a SMC e a Opus será eqüânime no que diz respeito à utilização de fins-de-semana e feriados durante os próximos dez anos de gestão compartilhada. A secretaria ficará com 91 dias (25%) e a Opus com 274 dias (75%). As melhorias no auditório também incluem reforma nas instalações da Coordenação de Música, da Banda Municipal, do estúdio e da Sala Radamés Gnattali (que passará a ser de multi-uso), que continuarão no local e 100% controladas pela secretaria." Trecho da matéria sobre o Auditório Araujo Vianna

Acesse aqui a íntegra da notícia.

Veja também: 
- Sob suspeita - Ministério Público de Contas analisa denúncias sobre uso do Araújo Vianna
- Auditório Araújo Vianna – Sofia quer datas públicas para os artistas populares
- Carta de esclarecimento sobre o Auditório Araújo Vianna