quinta-feira, 31 de outubro de 2013

Plano Municipal de Cultura é reivindicado, mais uma vez, ao Prefeito

CMC explica construção do Plano Municipal de Cultura 

Foto Elson Sempé Pedroso/CMPA
O presidente do Conselho Municipal de Cultura de Porto Alegre, Paulo Guimarães, explicou hoje (31/10), na Tribuna Popular da Câmara Municipal, como foi construído o Plano Municipal de Cultura. Guimarães pediu ao prefeito que envie o projeto que institui o plano o mais breve possível para análise do Legislativo, "para que os vereadores possam aprová-lo ainda em 2013". Segundo Guimarães, "o plano é mais uma prova do pioneirismo de Porto Alegre na área cultural, pioneirismo iniciado em 1976, com a criação do Conselho Municipal do Patrimônio Histórico e Cultural (Comphac)."

Foto Elson Sempé Pedroso/CMPA
Ao avaliar o trabalho que resultou no Plano de Cultura, Guimarães observou que a proposta é resultado de 18 anos de discussões entre os operadores da cultura na cidade. Conforme ele, após oito conferências municipais de cultura, realizadas bienalmente desde 1995, chegou-se ao plano que foi entregue ao prefeito no último dia 18 de outubro. "Nenhuma cidade realizou trabalho de forma tão democrática. É um processo que vai intensificar a atividade cultural na cidade."

Em um histórico da cultura na cidade, o presidente do CMC relembrou outros fatos marcantes na área cultural, como a criação da Secretaria Municipal de Cultura (SMC), em 1988, a criação, em 1991, do centro cultural Usina do Gasômetro - "o mais visitado do Estado" - , e a realização da primeira conferência municipal de cultura, em 1995. Porto Alegre possui hoje cinco fundos de cultura, acrescentou Guimarães, além de 60 equipamentos e espaços culturais.

Fonte: Portal da CMPA.