quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

Escola amigos do Verde - prefeitura analisará alternativa para alças laterais na Trincheira da Cristóvão

Leia também: Smov avalia opção para trincheira da Cristóvão - Matéria publicada no Jornal do Comércio de segunda-feira (16/12)

Foto Ederson Nunes/CMPA
Uma proposta alternativa prevendo a manutenção do tráfego nos desvios criados no entorno das obras da trincheira da Avenida Cristóvão Colombo será analisada pelo Comitê Gestor das Obras da Copa, coordenado pelo secretário de Gestão Urbano Schmitt, na manhã da próxima terça-feira (17/12). A ideia foi apresentada pelo engenheiro mecânico Luiz Mincarone durante reunião conjunta das comissões de Educação, Cultura, Esportes e Juventude (Cece) e de Saúde e Meio Ambiente (Cosmam).

O encaminhamento foi feito pelo vice-prefeito Sebastião Melo como forma de demonstrar a abertura de diálogo por parte do governo municipal para solicitações da comunidade local, que é contrária ao uso de uma faixa de cinco metros da lateral do terreno, de propriedade da Igreja Luterana, locado há 30 anos para a escola Amigos do Verde.

Foto Ederson Nunes/CMPA
O acordo ocorreu em encontro das comissões na sede da escola na noite desta terça-feira (10/12), com a presença de secretários municipais, técnicos do governo, pais de alunos, professores e moradores do entorno que tentam preservar a área de 3,6 mil metros quadrados onde se situa a escola. Pelo projeto original, em razão da construção de uma das quatro alças laterais à passagem de nível entre a as avenidas Cristóvão e Dom Pedro II, uma faixa de cinco metros do terreno tem previsão de desapropriação.

Foto Ederson Nunes/CMPA
Ao final do encontro, presidido pela vereadora Sofia Cavedon (PT), duas comissões foram formadas. Uma para acompanhar a tramitação de um pedido do Escritório do Patrimônio Histórico, Artístico e Cultural (Ephac) ao Conselho Municipal do Patrimônio Histórico, Artístico e Cultural (Comphac), para que o imóvel seja considerado de interesse cultural. Outra para participar dos debates sobre a proposta de alteração na obra de mobilidade urbana em curso na região.

Conforme o Vice-prefeito, a decisão sobre a inclusão do imóvel na lista de interesse cultural é do Comphac, cuja composição tem maioria de representantes oriundos de entidades da sociedade civil e uma participação minoritária do governo. Melo, no entanto, afirmou que, se o conselho aprovar a inclusão na lista, existe uma simpatia do prefeito pela ideia de homologar e publicar o ato no Diário Oficial de Porto Alegre para garantir a sua validade legal.

Foto Ederson Nunes/CMPA
Duas reuniões ainda ficaram marcadas para avançar o diálogo. A primeira ocorreria entre os integrantes das duas comissões e o vice-prefeito, enquanto a segunda, em 8 de janeiro, será realizada na Escola Amigos do Verde, para avaliar o andamento das ações voltadas ao entendimento entre as partes. Tanto o governo como os moradores afirmam não ter interesse na judicialização das demandas.

Leia também:
- Escola Amigos do Verde entrega abaixo-assinado ao vice-prefeito
- Escola Amigos do Verde quer reconsideração do decreto que institui a área de proteção ambiental