terça-feira, 17 de dezembro de 2013

Projeto do Parque do Gasômetro será votado nesta quinta-feira

"Propus uma audiência pública antes de votar o projeto, mas fui voto vencido na reunião de Mesa e Lideranças da Câmara" - Sofia Cavedon

Proposta de rebaixamento da avenida João Goulart para integrar áreas verdes promete polêmica.

Foto Tonico Alvares/CMPA
O Projeto de Lei Complementar (PLC) 20/2013, que institui o Parque do Gasômetro será apreciado nesta quinta-feira (19/12), a partir das 14h, na Câmara Municipal de Porto Alegre.

A proposta chega ao Legislativo dez meses depois do impasse gerado entre o Executivo, associações de moradores, ambientalistas e o Ministério Público sobre os limites da área – em divergência iniciada a partir do corte de árvores do entorno da Usina do Gasômetro para a duplicação da avenida Beira-Rio. O projeto prevê como limites do parque as praças Brigadeiro Sampaio, Júlio Mesquita e a área que atualmente é de propriedade da Companhia Estadual de Energia Elétrica (CEEE), entre a rua Washington Luiz e a avenida João Goulart, em frente à Câmara.

O PLC 20/2013 tem a simpatia de vereadores da situação e oposição. A maior controvérsia entre legisladores deve acontecer durante a apreciação das emendas, que já começaram a ser protocoladas.

Entre elas está a emenda de autoria da vereadora Sofia Cavedon (PT), que deverá gerar polêmica, pois solicita a interligação do parque com a orla do Guaíba, através de um rebaixamento da avenida João Goulart. “Esse projeto compensa a perda do debate sobre a duplicação da Beira-Rio e a retirada das árvores do Gasômetro (no entorno da usina). O governo buscou a negociação e está delimitando a área. Mas o que nos falta é a integração entre a orla e as praças. Se isso não for feito agora, que pelo menos haja uma previsão.”

Foto Cristiane Moreira/CMPA
Antes de protocolar a emenda, Sofia propôs na reunião de Mesa e Lideranças da Casa Legislativa, que o projeto fosse retirado de votação para que se realizasse uma audiência pública em fevereiro a fim de que a população pudesse debater e conhecer melhor a proposta. “Fui voto vencido”, diz a parlamentar que contou apenas com o apoio da vereadora Fernanda Melchionna (PSol).

Leia aqui matéria completa no Portal do Jornal do Comércio desta terça-feira (17/12).