terça-feira, 14 de janeiro de 2014

Comunidade de Veranópolis e região debate instalação de câmpus do IFRS

Foto Divulgação Gabinete
Sofia Cavedon (PT/PoA), natural de Veranópolis, participou da audiência pública apoiando a instalação do Campus do IFRS na cidade. “Ótimas perspectivas para Veranópolis e região com a conquista do campus IFRS. Nosso agradecimento à Reitora Claudia e sua competente equipe”, afirmou a parlamentar no final do encontro.

Instalação já está aprovada pelo MEC 

A implantação de um câmpus avançado do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul (IFRS) em Veranópolis, na Serra gaúcha, foi tema de uma audiência pública que lotou o plenário da Câmara de Vereadores do município na manhã desta segunda-feira, 13 de janeiro. Prefeitos, vereadores e lideranças de diversos municípios da região conheceram melhor as possibilidades de atuação do IFRS e esclareceram dúvidas. Houve muitas manifestações positivas à instalação do IFRS e também alguns questionamentos, respondidos pela reitora Cláudia Schiedeck Soares de Souza.

Foto Divulgação Gabinete
A instalação do câmpus foi aprovada pelo Ministério da Educação (MEC), e a Prefeitura de Veranópolis ofereceu a área junto à Escola Agrícola para que a unidade seja instalada ainda em 2014. O processo depende agora da aprovação na Câmara de Vereadores do município.

O prefeito em exercício de Veranópolis, Paulo Parise Maragno, cedeu a palavra ao prefeito Carlos Alberto Spanhol, que está de férias, mas compareceu à audiência devido à relevância do tema. Spanhol recordou as tratativas com o IFRS, que começaram em 2009, e salientou que houve um esforço conjunto de prefeitos e lideranças dos 16 municípios da região. "Essa é nossa maior conquista de investimentos federais desde a emancipação", afirmou. Ele salientou a reconhecida qualidade da educação do IFRS, que conquistou a quarta colocação nacional, entre 180 institutos e centros de ensino superior do Brasil, públicos e privados, em avaliação da qualidade dos cursos realizada pelo Inep/Mec. O prefeito também assumiu o compromisso de manter o apoio financeiro da prefeitura para a escola agrícola e alugar outra área para que, após um período de transição, as aulas do curso técnico em agricultura tenham continuidade.

A Reitora Cláudia enfatizou que a descentralização do ensino público e gratuito pelos IFs é uma forma de fixar as pessoas em suas regiões de origem e promover o desenvolvimento econômico e social. Atualmente, milhares de jovens da comunidade da região precisam se deslocar para outros municípios para buscar qualificação no ensino superior. A reitora apresentou a instituição e alguns números: "O IFRS conta com 19 mil alunos matriculados em 110 cursos técnicos, superiores de tecnologia, engenharias, licenciaturas e bacharelados. Hoje, está entre os dez maiores institutos federais do país em número de alunos e servidores."
Foto Divulgação Gabinete
Oportunidade para esclarecer dúvidas

Respondendo às perguntas dos presentes, Cláudia salientou que o colégio agrícola terá o tempo necessário para a transição de local. "Não há intenção de interferir no trabalho, mas ampliar as possibilidades de pesquisa, extensão e oferecer novos cursos. A ideia é somar esforços e aumentar as possibilidades na região."

Ela destacou também que o MEC determinou que a nova fase de expansão dos IFs seja em unidades que já tenham infraestrutura inicial pronta, permitindo ofertar alguns cursos em pouco espaço de tempo. Por isso, a disponibilização da área pela prefeitura agilizou a aprovação do projeto no governo federal. Respondeu ainda que não há cursos nem eixos de atuação definidos para Veranópolis, pois, após a garantia da infraestrutura física, haverá uma série de conversas com agentes econômicos e sociais e nova audiência pública para o levantamento de demandas. Citou a possibilidade da oferta de cursos de engenharia, sendo aplaudida pelo público.

De acordo com a reitora, conforme os próximos passos forem acertados, a intenção é começar a instalação do câmpus no primeiro semestre deste ano e dar início à oferta de cursos no segundo semestre. Respondeu ainda que o governo federal tem recursos para investir em equipamentos e novas instalações nos câmpus, como a construção de bibliotecas e laboratórios.

Todos os pró-reitores do IFRS estavam presentes na audiência: de Desenvolvimento Institucional, Osvaldo Casares Pinto; de Extensão, Viviane Silva Ramos; de Ensino, Amilton de Moura Figueiredo; de Pesquisa e Inovação, Júlio Xandro Heck; e de Administração, Giovani Silveira Petiz.

Fonte: Portal da Reitoria do IFRS