quarta-feira, 15 de janeiro de 2014

Memorial da Casa do Artista Riograndense - Um reconhecimento!

Fruto da emenda nº 61 ao Orçamento Municipal de 2014, de autoria de Sofia Cavedon:

Projeto do Memorial da Casa do Artista Riograndense.

Por Luciano Fernandes e Vinicius Vieira 

Local: Cemitério São João.

Proponente: Luciano Fernandes - Casa do Artista Riograndense.

Recursos:  Vereadora Sofia Cavedon - Emenda Orçamentária nº 61/2013 - Câmara Municipal de Porto Alegre.

Autor: Vinicius Vieira.
Materiais: aço inox + concreto + pedras portuguesas. Dimensões: 6,4 x 13,8 (D).

“A presente emenda objetiva garantir jazigo digno para sepultamento de artistas, visando reconhecimento póstumo desses, assim preservando a memória da cultura artística local, mediante a construção de uma escultura e de elementos funcionais que caracterizarão o lugar como um Memorial. A Casa do Artista Riograndense, localizada na Rua Anchieta, número 280, no bairro Glória, em Porto Alegre, funciona em uma edificação que pertenceu à tradicional família Rocco, e foi adquirido no início da década de 1950. Artistas daquela época já se preocupavam e identificavam a necessidade de um local para abrigar colegas que, quando tinham dificuldades em suas carreiras, ficavam sem assistência para as necessidades básicas, como alimentação, saúde e moradia, realidade que acontece até os dias de hoje, já que muitos artistas não se encontram em boas condições de trabalho ou alcançam uma avançada idade. Com mais de 60 anos, a Casa abriga hoje diversos moradores, que dedicam suas vidas para levar a arte a um número incalculável de pessoas de várias gerações.”

Luciano Fernandes - Presidente da Casa do Artista Riograndense.

“Inserida na natureza e construída com linhas sinuosas que se encontram rumo ao zênite, a forma orgânica que abriga os novos lugares de repouso é modelada em aço inox. Ao recobrir a área de visitação, ela cria a ambiência necessária em um espaço contemplativo e de reflexão. As linhas curvas buscam estabelecer, mediante sutilezas de percurso, uma intenção de conexão entre a terra e o céu, ao indicar o caminho da elevação que nos sugere a liberdade. O arranjo circular adotado para os lugares de repouso indicam um senso associativo, com layout que remete a própria existência dos artistas que quando vivos conviviam em sociedade na Casa do Artista Riograndense.”

Vinicius Vieira - Escultor, Arquiteto e Urbanista / Presidente da Aeergs - Associação dos Escultores do RGS...

Veja também: 
Orçamento 2014: Emendas de Sofia Cavedon foram aprovadas