terça-feira, 18 de março de 2014

Câmara deve receber em abril projeto que recria a Zona Rural

Foto Solange Brum
A Secretaria Municipal de Urbanismo (Smurb) anunciou, nesta terça-feira (18/3), na Câmara Municipal, que, em abril, o Executivo deverá enviar ao Legislativo o projeto que prevê a volta da Zona Rural de Porto Alegre. Conforme Rafael Larangeira, da Smurb, na segunda-feira (24/3) a comissão técnica responsável por elaborar a proposta apresentará a minuta do projeto ao Secretário Municipal do Urbanismo. Ele informou que a apresentação da minuta do projeto será dia 24/3 (segunda-feira).

A notícia foi divulgada em reunião da Comissão de Educação, Cultura, Esporte e Juventude (Cece), na qual a Associação Porto Alegre Rural e propriedades do roteiro turístico Caminhos Rurais reivindicaram o restabelecimento da Zona Rural.

Preservação 

Foto Panoramio
Os integrantes dos Caminhos Rurais frisaram a importância da denominação Zona Rural como forma de conter a especulação imobiliária e garantir a preservação da natureza. Também fizeram reivindicações ao Executivo e aos vereadores. A presidente da Associação Porto Alegre Rural, Isabel Pacheco, pediu mais divulgação do roteiro e sugeriu a realização de um Fantur. Lembrou que, a 30 quilômetros do Centro, há agricultura orgânica, cabanhas, turismo de aventura, atividades educativas, de observação da fauna e flora e de vivência. “As pessoas se encantam ao saberem que temos uma área rural tão bela a ser apreciada”, disse. Isabel ainda cobrou conservação das estradas e atenção ao acúmulo de lixo e ao crescimento de vilas irregulares em curvas perigosas da Avenida Edgar Pires de Castro.

O dono da Cabanha Costa do Cerro, Naurio Guerisoli, disse que foi um equívoco da Câmara ter extinguido a Zona Rural quando votou o PDDUA, pois a decisão prejudicou toda uma região. “Espero que agora façam um projeto que depois não resolvam mudar”, sugeriu, ressaltando a preocupação com natureza. Guerisoli informou que, em sua cabanha, situada no Lami, onde hospeda e cria cavalos, há trilhas em meio à Mata Atlântica e animais como bugios e capivaras. “Oferecemos um pulmão verde para Porto Alegre e damos emprego para quem vive no Extremo Sul”, afirmou, ao ressaltar a importância social da Zona Rural. 
Foto Francielle Caetano/CMPA

“Bairros onde há mais de 1.500 cavalos não podem ser julgados como não-rurais”, afirmou Cíntia Mendes Santos, proprietária da Cabanha Figueira, do Lami, “A gente vive, cuida e preserva a natureza. Se não preservarmos, a Zona Sul vai ser destruída.” Cíntia contou que ouve as motosserras desmatando e os bugios assustados invadindo pátios. Defendeu a volta da Zona Rural e mais divulgação dos Caminhos Rurais. “Queremos que os moradores nos conheçam. Não queremos enriquecer com turismo rural, mas sim compartilhar a oportunidade de andar a cavalo, comer uma comida campeira, colher alimentos saudáveis”, disse. “Temos tudo isso dentro de Porto Alegre. Está na hora de conhecermos.”

Audiência 

Foto Cabanha Figueira 
Como encaminhamento da reunião será realizada um Fantur pelos Caminhos Rurais na manhã da próxima terça-feira (25/3), com a participação dos vereadores, da Smurb, da SMT, da Smed, da Smov e do DMLU. Também ficou garantido que a Câmara participará da construção da nova lei para a volta da Zona Rural e realizará uma audiência pública na Cece para que o Executivo apresente seu projeto à Casa e à comunidade.

Fonte: Portal da CMPA.