sexta-feira, 11 de abril de 2014

Dilma inaugura PISA e participa de formatura do Pronatec

Foto Alexandre Böer 
Sofia Cavedon, vereadora do PT de Porto Alegre, participou nesta sexta-feira (11) na capital, da cerimônia de formatura de mil alunos do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec), que teve a presença da presidenta Dilma Rousseff no ato.

Conforme Sofia, “Dilma, uma presidenta que faz questão de participar de muitas formaturas em ensino técnico e que disputou os royalties do petróleo para a educação, sabe o que pode mudar o Brasil.” 

Educação é caminho para tornar permanente a conquista de cada um de nós 

Foto Roberto Stuckert Filho/PR
Dilma Rousseff reforçou a importância do ensino técnico para o desenvolvimento do País. “A educação é um dos caminhos para tornar permanente a conquista de cada um de nós no Brasil. Por isso esse esforço imenso em fazer 8 milhões de matrículas no Pronatec até 2014. Quanto mais estudo nossa população tiver, mais sua família viverá melhor, mais o Brasil precisa disso para poder crescer, para ser uma nação mais rica, realizando seu potencial imenso”, afirmou.

Sobre o Programa 

Criado em 2011, o Pronatec tem o objetivo de expandir, interiorizar e democratizar a educação profissional e tecnológica. A meta alcançar oito milhões de brasileiros matriculados até o final de 2014. No Pronatec são oferecidos cursos gratuitos nas escolas públicas federais, estaduais e municipais, nas unidades de ensino do Senai, Senac, Senar, Senat, e também em instituições privadas de ensino superior e de educação profissional técnica de nível médio. 

Conheça os cursos ofertados.
Visite o Portal Pronatec para o Rio Grande do Sul
Visite o Portal do Pronatec.

Dilma inaugura o PISA 

Foto Camila Domingues/Palácio Piratini
Em sua manifestação na tribuna da Câmara da Porto Alegre, Sofia Cavedon destacou a visita da presidenta Dilma Rousseff que inaugurou o Programa Integrado Socioambiental (Pisa), para despoluição do Guaíba.

A parlamentar lembrou que os governos Dilma e Lula investiram pesado em programas de saneamento básico, entre os quais se inclui o Pisa. Sofia lamentou, porém, que alterações no projeto original acabaram por arrastar as obras por 16 anos e por comprometer a qualidade do programa. "O emissário do esgoto no Guaíba, por exemplo, que, por norma da Fepam, deveria ter 2,7 mil metros, tem apenas 1,6 mil."

ETE Serraria 

A ETE Serraria compreende cinco hectares e meio de área dentro da qual estão instalados tanques cobertos onde ocorrem as várias etapas de tratamento do esgoto, até a extração total do lodo e da areia contaminada, com a devolução da água recuperada ao leito do Guaíba. O funcionamento da estrutura deve de início, ser parcial. A capacidade instalada da estação é de 4.115 litros/segundo, mas em um primeiro momento ela deve operar com pouco mais de 500 litros por segundo, cerca de um oitavo do potencial. O custo total foi de R$ 400 milhões.