quarta-feira, 30 de abril de 2014

Sofia participa da Semana da Democracia em Esteio

Foto Divulgação Leo Dahmer 
A Semana da Democracia, que ocorreu nas dependências da Câmara de Vereadores, encerrou-se nesta quarta-feira (30), com palestra do Coordenador Comissão da Verdade do RS, Carlos Guazelli e da vereadora porto-alegrense, Sofia Cavedon (PT), no Plenário Luiz Alécio Frainer e teve a participação de estudantes e professores do ensino médio das escolas estaduais. A atividade, de iniciativa presidente do Legislativo, Leonardo Dahmer (PT), pretendeu esclarecer, no ano em que o Golpe Militar completa seu cinquentenário, e debater os impactos políticos, econômicos e sociais do episódio político no país.

Além de falar sobre os objetivos da Comissão, que é subsidiar, com relatos e documentos e buscar a reparação de atos de violação dos direitos humanos no Rio Grande do Sul, durante o regime militar (1964-1985), Carlos Guazelli, destacou a importância de se resgatar a verdadeira história do período. " Pretendemos revelar as mais graves violações a direitos humanos praticadas, no passado recente, em território riograndense, ou mesmo fora dele", observou.

Foto Divulgação Leo Dahmer
Sofia Cavedon traçou uma linha histórica no contexto da educação no período e falou que a grande massa de analfabetos no país é uma das consequências da ditadura. "A reorientação da educação brasileira, durante a ditadura, veio de fora do país, assim como a Lei 5692/71, que fixou as diretrizes e bases da educação", disse. A parlamentar destacou que a extinção do Plano Nacional de Alfabetização de Paulo Freire e o acordo do MEC com os EUA na época, resultou na reforma do ensino fundamental e superior, interrompendo a construção do direito à educação e a transformaram num instrumento de formação de mão de obra alienada para os interesses econômicos, esvaziada da formação humanista, emancipatória, além de inacessível à grande maioria.

Foto Divulgação Leo Dahmer
Os painelistas participaram de uma rodada de debates sobre o tema, traçando uma comparativo entre o período da ditatura e a época atual. A coordenadora da Coordenadoria Regional de Educação (Cre), de Canoas, Lúcia Barcelos, também prestigiou o evento.

Para o presidente da Câmara, Leo Dahmer, o período da ditadura não deve ser esquecido. "Este foi um dos propósitos da Semana da Democracia. Oferecer acesso a estas informações resgatadas pela Comissão da Verdade e fazer uma reflexão sobre estes acontecimentos para que não se repitam", disse.

Os estudantes e professores também puderam assistir ao documentário brasileiro, dirigido por Camilo Galli Tavares, que trata sobre a participação do governo dos Estados Unidos na preparação do Golpe de Estado de 1964. A abertura do evento, ocorrida segunda-feira (28), na sede do legislativo, contou com a participação dos painelistas Oneide Bobsin, integrante da Comissão Estadual da Verdade (CEV/RS), e o ex-militante da resistência, Ubiratan de Souza.

Fonte: Portal da CM de Esteio.