sábado, 7 de junho de 2014

Alimentação Saudável nas escolas foi apresentado por Sofia no Seminário da Ufrgs

Foto Mario Pepo
Sofia Cavedon, vereadora petista da capital e autora de duas leis que tratam sobre a alimentação saudável nas escolas, palestrou neste sábado (07/6) no III Seminário Universidade e Escola, promovido pela Ufrgs, que abordou “A criança atual – a família, a escola e a mídia”.

Durante o evento, realizado no Salão de Atos da Universidade, foram debatidas questões ligadas ao consumismo infantil, sobrepeso-obesidade em crianças e doenças crônicas não comunicáveis, como hipertensão arterial e diabetes, que podem ser prevenidas com alimentação saudável e atividade física.

Foto Mario Pepo
Em sua manifestação Sofia apresentou as duas leis de sua autoria que abordam a temática – a Lei 10.167/2007 - Alimentação Saudável nas Cantinas das Escolas e a Lei 9.947/2006 que institui o Programa Agricultura Familiar Urbana na Merenda Escolar.

A Lei da Merenda Escolar determina a compra direta dos produtos hortifrutigranjeiros dos agricultores vizinhos da escola para o preparo da refeição escolar “A horta escolar, as composteiras, são exemplos de currículo com compromisso com a vida. A forma de obter, preparar, consumir e descartar as sobras da alimentação também é currículo escolar”, destaca a parlamentar.

A Lei das Cantinas estabelece normas para a comercialização de produtos alimentícios e bebidas nas instituições de ensino. Conforme Sofia a intenção da proposta é de discutir com as escolas públicas e privadas o espaço da cantina, do bar, da refeição, do lanche escolar na educação oferecendo maior disponibilização e exposição de produtos naturais e de lanches saudáveis, como frutas, sanduíches e sucos, e proíbe a veiculação e exposição de materiais de propaganda dos produtos industrializados, que têm excessos de açúcares e conservantes e não contêm nutrientes.

Pesquisa indica risco de sobrepeso 

Foto Mario Pepo
Foi apresentado no Seminário o resultado da pesquisa realizada pelo Núcleo Interdisciplinar de Prevenção de Doenças Crônicas na Infância da Pró-reitoria de Extensão, em parceria com a Secretaria de Educação de Porto Alegre com o objetivo de construir políticas públicas para a prevenção das doenças crônicas não comunicáveis.

A investigação foi desenvolvida entre maio e novembro de 2013, com 1.765 crianças de zero a seis anos matriculadas em 15 escolas de educação infantil da rede pública municipal, situadas em diferentes bairros da periferia. Os resultados indicam risco de sobrepeso em quase 40% dos que foram avaliados, e hipertensão arterial em mais de 20% dos participantes em que a pressão foi medida.

Noemia Perli Goldraich, nefrologista pediátrica do Hospital de Clínicas e coordenadora do trabalho, acredita que a situação se deve ao consumo de alimentos industrializados - carregados de gordura, açúcar e sódio - associado ao sedentarismo das crianças.

Fonte: Portal da UFRGS.