sexta-feira, 6 de junho de 2014

Municipários de Porto Alegre permanecerão em greve até a próxima semana

Foto Ramiro Furquim/Sul21
Categoria reuniu-se no Largo Zumbi dos Palmares 

Em greve desde segunda-feira (2), os servidores municipais de Porto Alegre devem manter a paralisação pelo menos até a próxima semana. Nesta sexta-feira (6), o Sindicato dos Municipários de Porto Alegre (Simpa) realizou uma nova reunião com o vice-prefeito Sebastião Melo (PMDB), na Câmara Municipal, do qual a vereadora Sofia Cavedon (PT) foi uma das mediadoras da negociação.

De acordo com a entidade, cerca de 3 mil trabalhadores lotaram os corredores da Câmara enquanto o encontro acontecia. Após a reunião, eles marcharam em direção ao Largo Zumbi dos Palmares, onde realizaram assembleia.

Silvana Conti, diretora do Simpa, informa que a negociação avançou em alguns pontos, mas permaneceu estagnada em outras pautas. Ela explica que as reivindicações dos servidores possuem dois aspectos: um salarial e outro político e democrático.

No âmbito salarial, a prefeitura não evoluiu nos indicadores, repetindo a proposta de pagar em uma só vez a reposição da inflação (6,28%). A primeira oferta, no início da greve, havia sido de pagamento parcelado do valor – 2,5% em maio e o restante em janeiro de 2015.

Além disso, outra demanda é o aumento no vale-refeição. Atualmente, o benefício é pago em R$ 15 e os servidores reivindicam que passe a ser R$ 20. A prefeitura ofereceu um aumento de R$ 0,97.

Nova assembleia ocorre provavelmente na terça-feira

Foto Marta Resing
Entretanto, Silvana aponta que a negociação avançou em outras pautas. “Avançamos no debate em relação ao plano de carreira e ao plano de saúde”, complementa. Outra reivindicação prioritária para os servidores é a negociação dos dias paralisados, não somente em relação a essa greve, mas em movimentos anteriores, como o dos trabalhadores da saúde, em fevereiro. “Uma questão importante que colocamos é que achamos imprescindível fazer a negociação dos dias parados. Vários colegas já foram penalizados. Trabalhamos na perspectiva de compensar os dias parados”, explica, acrescentando que, neste tema, “o vice-prefeito foi inflexível”.

Como Sebastião Melo não se comprometeu em enviar uma nova contraproposta por escrito ao Simpa, a assembleia desta sexta-feira discutirá apenas as próximas ações de mobilização. O sindicato sinaliza para a realização de uma nova assembleia na próxima terça-feira (10), quando acredita que já terá em mãos novas propostas da prefeitura.

“Só podemos votar alguma proposta em alguma assembleia quando tivermos um documento por escrito do prefeito. Vamos continuar nos articulando no final de semana e aguardando próxima negociação”, avisa Silvana.

Fonte: Portal Sul21.