domingo, 6 de julho de 2014

Primeiro debate: Tarso reafirma que o Rio Grande do Sul vive um grande momento

Foto Divulgação PT/RS
O candidato à reeleição pela Unidade Popular pelo Rio Grande (UPPRS), Tarso Genro, iniciou sua participação no debate promovido pela Rádio Gaúcha, na noite deste domingo (6), enfatizando o papel das políticas públicas no crescimento registrado pelo Rio Grande do Sul no último período. Tarso classificou os programas sociais em curso no Estado de inovadores e revolucionários. Ele citou como exemplos os programas Mais Água, Mais Renda, que garante irrigação para a agricultura familiar, o Programa de Microcrédito, que já disponibilizou quase R$ 400 milhões para pequenos empreendedores, aplicação pela primeira vez dos 12% da receita na saúde, o Plano Safra Estadual, que injetou recursos inéditos na agricultura gaúcha, e a oferta de cursos profissionalizantes para 220 mil gaúchos.

Tarso afirmou, ainda, que seu governo não cruzou os braços diante das dificuldades financeiras do Estado e abriu espaços fiscais para a obtenção de financiamentos internacionais, além de aprofundar a relação com o governo federal e de assegurar cerca de R$ 40 bilhões de investimentos privados. “O Rio Grande cresceu acima da média nacional graças a uma combinação de fatores: atração de investimentos privados, parceria com o governo federal e novas fontes de financiamento para investimentos públicos".

12% da receita para a saúde 

No segundo bloco, os candidatos responderam a perguntas elaboradas pela produção da rádio. Para Tarso, foi sorteado o tema da saúde, com enfoque na situação das emergências a no acesso às consultas especializadas. O candidato da UPPRS destacou que, pela primeira na história do Estado, a lei está sendo cumprida e a saúde está recebendo 12% da receita de impostos, o que permitiu a ampliação e a qualificação da rede de atenção básica, o repasse de 1,7 bi aos Hospitais Filantrópicos, mais de mil novos leitos do SUS, entre outras importantes conquistas. Tarso também reafirmou que o Rio Grande do Sul vive um grande momento. “Diferente do que aconteceu nos dois governos que nos antecederam, conseguimos garantir as condições para alavancar o Estado em direção ao futuro".

Democratização do Fundopem 

Tarso também lembrou que reestruturou o Fundo Operação Empresa (Fundopem), um dos principais instrumentos de política tributária à disposição do Estado, para beneficiar as cooperativas gaúchas. A medida colaborou para criação de novos empregos no Rio Grande do Sul.

A dívida com a União, cujo contrato em vigor foi firmado pelos governos Antônio Britto e FHC, foi um dos temas recorrentes do debate. O acordo, celebrado na década de 1990, foi extremamente desfavorável ao RS que, por conta disso, é obrigado a desembolsar todo o mês 13% da receita para pagar as parcelas da dívida. Antes, o comprometimento era de apenas 6,14% da receita líquida.

A frente do Piratini, Tarso liderou um movimento nacional pela mudança do indexador da dívida. O resultado foi a aprovação de um projeto nas Comissões de Constituição e Justiça e Assuntos Econômicos do Senador Federal que diminui os juros e altera o indexador, assegurando uma redução de R$ 17 bilhões no resíduo da dívida. A proposta deverá ser votada até o final deste ano pelos senadores. 

Dois caminhos 

Foto Divulgação PT/RS
Tarso anunciou no debate que o próximo passo será lutar pela diminuição das prestações mensais e se despediu alertando para os projetos distintos representados pelas candidaturas. "Enquanto nossos adversários apostam na letargia, na paralisia e na redução das funções públicas, com o discurso do estado enxuto e do choque de gestão, nós trabalhamos pelo desenvolvimento, pela igualdade, pelo emprego e pelo crescimento dos investimentos públicos e privados", apontou.

Preparo e experiência

A candidata a vice-governadora pela Unidade Popular pelo Rio Grande, Abgail Pereira (PCdoB), considera que Tarso Genro mostrou que tem preparo, experiência e propostas para continuar governando o Rio Grande do Sul. Na avaliação da candidata, o primeiro debate mostrou, de forma cristalina, a existência de dois caminhos: o caminho da estagnação e do arrocho e o caminho do crescimento e da inclusão social, que já vem sendo trilhado nos últimos três anos e meio.

Formato deve melhorar 

O candidato da Unidade Popular pelo Rio Grande ao Senado, Olívio Dutra, assistiu o debate em casa, ao lado da esposa Judite. Para ele, o formato do programa dificulta aos ouvintes e telespectadores entenderem com maior profundidade as diferenças entre as candidaturas. "É claro que o Tarso é o candidato mais afirmativo e que seu governo abriu o caminho para este crescimento diferenciado que o Rio Grande do Sul está apresentando. Mas penso que as propostas ficam diluídas pelo modelo do programa", avaliou.

Fonte: Portal Tarso 13 - Compartilhe Crescimento. Compartilhe Igualdade.