quinta-feira, 7 de agosto de 2014

Há 20 anos, Xico Stockinger recebia o título de Cidadão de Porto Alegre

Sofia Cavedon é autora da Lei que homenageia o artista. A Lei nº 11.383, publicada no Diário Oficial de 06.12.2012, denomina o Atelier Livre da Prefeitura de Porto Alegre como Atelier Livre Xico Stockinger. Até o momento a Prefeitura da capital não adotou o nome no espaço cultural.

Foto Luiz Eduardo Achutti
Nesta quinta-feira (7/8), Xico Stockinger, um dos maiores escultores do país, faria aniversário. O artista austríaco, naturalizado brasileiro, nasceu na cidade de Traun no dia 7 de agosto de 1919. Veio com a família para o Brasil em 1923 e aqui tornou-se um reconhecido e talentoso artista. Há 20 anos, recebeu o Título de Cidadão de Porto Alegre na Câmara Municipal da Capital, proposto pelo ex-vereador Wilton Araújo, que descreveu o artista como um escultor do mundo. “Um mestre, sua grandeza extrapola fronteiras”, definiu. 

Francisco Stockinger iniciou seus estudos em escultura no Rio de Janeiro. Nesse período, trabalhava na imprensa carioca, onde foi previsor do tempo, caricaturista, paginador, diagramador, chargista, e ilustrador. Em 1954, mudou-se para Porto Alegre para trabalhar no jornal A Hora, onde permaneceu por dois anos. Aqui, tornou-se presidente da Associação Riograndense de Artes Plásticas Francisco Lisboa e foi diretor do Atelier Livre da Prefeitura e da Divisão de Artes do Departamento de Cultura da Secretaria de Educação e Cultura do Rio Grande do Sul.

Uma das obras públicas mais famosas de Stockinger em Porto Alegre fica na Praça da Alfândega e retrata os poetas Carlos Drummond de Andrade e Mario Quintana em bronze, tendo sido criada em parceria com Eloisa Tregnago. Inaugurada em 26 de outubro de 2001, a escultura é considerada um Monumento à Literatura. Entre tantos outros trabalhos, são famosos também seus guerreiros e o monumento situado na Praça Dom Sebastião, junto ao Colégio Rosário.

Stockinger realizou mais de 30 exposições individuais e participou de dezenas de mostras coletivas. O artista continuou produzindo sua arte até o final da vida. Morreu aos 89 anos, em abril de 2009. Em 2011, sua trajetória foi retratada no documentário Xico Stockinger, dirigido por Frederico Mendina.

Fonte: Portal da CMPA.