segunda-feira, 6 de outubro de 2014

Dilma: Vou continuar nessa luta junto com cada um para mudar o Brasil

Em pronunciamento após o primeiro turno das eleições 2014, em Brasília, Dilma agradeceu à militância e a todos os brasileiros e brasileiras que foram às urnas neste 5 de outubro e participaram de um momento especial: “Sinto-me como se tivesse recebido um recado simples de cada um, que diz que eu devo seguir em frente, que eu devo continuar nessa luta junto com cada um desses eleitores e dessas eleitoras para mudar o Brasil”, declarou.



Dilma destacou a atuação dos movimentos sociais e centrais sindicais no apoio à sua campanha. E, como não podia deixar de ser, agradeceu o empenho do ex-presidente Lula, sem o qual, segundo a própria presidenta, ela “não teria conseguido realizar o sonho de ajudar a fazer um Brasil melhor”. 

Para Dilma, a luta continua e será vitoriosa, porque é a luta do povo brasileiro. “Essa é a luta dos construtores de futuro, que não deixarão jamais o Brasil voltar para trás”. A presidenta relembrou que o início da campanha foi marcado pela tragédia da morte de Eduardo Campos, “mas nós temos que seguir em frente. Por isso eu digo que entendi o recado das ruas e das urnas. O principal recado que eu recebi, e que me estimula, é que o povo brasileiro anseia por mais avanços. E [o povo] disse que vê nesse projeto que eu represento a mais legítima e confiável fonte de mudança, uma responsabilidade que nós temos que assumir perante a história”, disse.

Nossa presidenta declarou também que um governo novo precisa de ideias novas, como o Mais Especialidades; a Segurança Integrada; ampliação dos programas voltados à educação, como o ProUni, o Pronatec e o Ciência Sem Fronteiras. Sempre de olho no futuro, utilizando o pré-sal para valorizar os professores e melhorar a qualidade do ensino, ela destacou seu compromisso com mudanças na economia para que o Brasil continue crescendo e se profissionalizando cada vez mais. 

Ela falou também da importância de fazer a reforma política, “a reforma de todas as reformas”, por meio de um plebiscito democrático popular. “Vamos fazer o que estiver ao nosso alcance para que haja a possibilidade e a certeza de transformar essa reforma em possibilidade”, declarou.

“O povo acaba de dizer e nós temos a certeza de que vai dizer outra vez no dia 26 de outubro, que não quer os fantasmas do passado de volta”. Dilma fez uma recapitulação dos governos anteriores, dos tucanos, “que chamavam os aposentados de vagabundos, que se ajoelhavam diante do FMI, que trouxeram racionamento de energia, que tentaram privatizar a Petrobras, o Banco do Brasil e a Caixa”, lembrou.

Dilma agradeceu pelas vitórias expressivas em Minas Gerais, onde nasceu e passou a infância, e no Rio Grande do Sul, para onde foi depois da Ditadura Militar, onde sua filha nasceu e onde Dilma construiu boa parte de sua vida política.

Por fim, a presidenta conclamou aqueles que melhoraram de vida nos últimos 12 anos para defender e ampliar, junto com ela, as conquistas alcançadas pelo Brasil. “A nossa luta é a nossa forma, o nosso meio, e o Brasil precisa de cada um de nós”, finalizou.

Fonte: Muda Mais - Dilma Presidenta