quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

Governo lança Terceira Conferência Nacional da Juventude

Sofia Cavedon, vereadora do PT da capital, participou nesta quinta-feira (26/2), em Brasília, do lançamento da terceira Conferência Nacional da Juventude, trabalho conjunto do Conselho Nacional da Juventude com a Secretaria Nacional de Juventude, que tem como meta de elaborar o Plano Nacional da Juventude.

A Terceira Conferência Nacional de Juventude, com o tema As Várias Formas de Mudar o Brasil, foi lançada hoje (26), em Brasilia. Previsto para o fim do ano, o encontro terá como principais objetivos discutir as novas formas de participação e expressão da juventude, a promoção do combate aos preconceitos, a participação dos jovens no ambiente digital e a aprovação do Primeiro Plano Nacional da Juventude.

Foto Valter Campanato/Agência Brasil
Os ministros do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, e da Secretaria-Geral da Presidência da República, Miguel Rossetto, na solenidade de lançamento da 3 Conferência Nacional de Juventude (

Durante a solenidade, representantes de entidades ligadas aos jovens criticaram, por meio de rap, as dificuldades que muitos deles enfrentam, como a desigualdade social e racial. Em discurso, o secretário nacional de Juventude, Gabriel Medina, disse que as manifestações promovidas no ano passado, conhecidas como "rolezinhos", mostraram que o jovem brasileiro questiona o modelo de segurança pública e o direito à mobilidade dos cidadãos.

A disseminação da violência que afeta a juventude negra em nosso país é ainda um problema”, afirmou. Segundo Medina, as políticas para o segmento precisam ser voltadas para o combate aos altos índices de violência que atingem os jovens na periferia das cidades e para o reconhecimento das práticas não convencionais dos jovens de fazer política, com participações digitais, e nas ruas com saraus, projetos de extensão universitária e quilombos, entre outras.

Para a presidenta do Conselho Nacional de Juventude, Ângela Guimarães, é preciso combater o genocídio da juventude negra. “Temos que ter ousadia, inovação, destemor da juventude para dizer que muito vale o que foi feito, mas temos que apontar para o futuro, continuar a inclusão educacional e econômica da juventude”, disse Ângela, citando os grandes desafios do país quando o assunto é juventude. “Um dos gargalos é que o Brasil é um dos países onde é inseguro ser jovem, [pois] 30 mil mortos por ano são incompatíveis com o futuro e com o projeto de sociedade em que acreditamos”, enfatizou.

Foto Valter Campanato/Agência Brasil
De acordo com o secretário-geral da Presidência da República, ministro Miguel Rossetto, para a organização do evento, previsto para a primeira semana de dezembro, haverá uma “grande convocatória a um gigantesco diálogo”. “Estamos, no Palácio do Planalto, chamando a juventude brasileira para mudar o nosso país. Nessa terceira conferência, iremos trocar nossas propostas, renovar nossos compromissos com a agenda de mudanças. Isso nos entusiasma, nos anima, e tenho absoluta certeza de que iremos mexer com o nosso país com a convocação que sai no dia de hoje”, ressaltou o ministro.

Em maio será iniciado o processo de organização da conferência, com encontros municipais e estaduais até que sejam definidas propostas e escolhidos delegados para representar cada região no evento nacional. De acordo com a Secretaria-Geral da Presidência, 800 mil jovens participaram das duas conferências anteriores, que aprovaram, dentre outros, o Plano Juventude Viva e o Estatuto da Juventude.

Fonte: Agência Brasil - Por Paulo Victor Chagas - Repórter da Agência Brasil - Edição: Stênio Ribeiro