quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

Municipários pediram apoio ao Legislativo para resolver o Efeito Cascata

Assembleia Geral às 14h e Audiência Pública às 19h, na quinta-feira - 05 de março.

Diretoria do Simpa cobra solução para o efeito cascata

Foi discutido na tarde de hoje (26/2), na Tribuna Popular da Câmara Municipal de Porto Alegre, o projeto de lei do Executivo Municipal referente ao efeito cascata sobre os salários dos servidores municipais. Compareceram à sessão os representantes do Sindicato dos Municipários de Porto Alegre, Silvana Conti e Raul Giacoboni, que cobraram uma solução para o problema que afeta os servidores da Capital.

O diretor financeiro do sindicato, Raul Giacoboni, esclareceu alguns pontos sobre o chamado efeito cascata. Segundo ele, a Prefeitura de Porto Alegre é resistente ao problema e não reconhece a fraude, alegando que o Regime de Tempo Integral é referente às cargas horárias e não a uma gratificação. Giacoboni observou que a Prefeitura deve rever a fórmula de cálculo dos vencimentos, pois a situação atual é insustentável.

A diretora geral do Simpa, Silvana Conti questionou o projeto sobre o efeito cascata enviado à Câmara pelo Executivo. Silvana acredita que as regras propostas pelo governo municipal não trazem benefícios e as classifica como um "revés sem volta". A diretora ressaltou que esteve diversas vezes na Câmara Municipal e que, em uma das reuniões realizadas na Casa, o vereador Airto Ferronato (PSB) comprometeu-se a criar uma agenda entre a Prefeitura e o Simpa. "Não queremos nenhum retrocesso, nenhum direito a menos e queremos sim o apoio da Câmara Municipal".

Fonte: Portal da CMPA.

Veja também:
- Simpa apresenta proposta de lei sobre efeito cascata
- Sofia pede audiência Pública para tratar da situação salarial dos municipários de Porto Alegre