segunda-feira, 13 de abril de 2015

Eduardo Galeano - 1940/2015

Lá se vai mais um utópico, em tempos tão confusos! Nunca abandonaremos a lucidez e urgência de humanização de Galeano! - Sofia Cavedon