quarta-feira, 8 de abril de 2015

Matrizes Africanas pedem retirada do projeto que desrespeita sua Cultura

Foto Thalles Campos/CMPA

Comunidades tradicionais de Matriz Africana sentem-se ameaçadas por diferentes iniciativas legislativas e pedem apoio

Ato contra cerceamento de prática religiosa reuniu, nesta terça-feira (7/4), na Câmara Municipal de Porto Alegre, centenas de praticantes de religiões de matriz africana e defensores da liberdade de cultos religiosos para protestar e exigir a retirada de tramitação do projeto de lei do vereador Rodrigo Maroni (PCdoB) que, tendo como objeto a criação de um código de defesa dos animais, poderá cercear a realização dos ritos religiosos.

Foto Divulgação Sofia Cavedon
A vereadora Sofia Cavedon (PT), presente no encontro, afirmou que “nosso compromisso é a liberdade e a manifestação religiosa”.

Os manifestantes lotaram o Plenário Ana Terra e, após muito debate, ficou acordado pela retirada do projeto e pela criação de uma comissão, formada por representantes de várias entidades representativas - entre elas a FAUERS, AFROES, Conselho do Povo de Terreiro, Unidos pelo Axé - da religião de matriz africana do Porto Alegre e Região Metropolitana, que irá discutir e formatar uma nova proposta. Também foi deliberado a criação de uma Frente Parlamentar contra a intolerância religiosa e em defesa dos direitos da população afrodescendente.

Outro projeto na AL

As comunidades também reivindicam a retirada do PL 21/2015, que defende a exclusão de um parágrafo do Código Estadual de Proteção ao Animal: o que permite o livre exercício de sacrifício de animais em cultos e liturgias.

Com informações de Marcelo Antunes.