quinta-feira, 7 de maio de 2015

Em reunião na Saúde, Sofia trata várias pautas

Foto Divulgação Sofia Cavedon
Atendimento precoce de bebês, Política Nacional de Atenção Integral às Pessoas com Doenças Raras e projeto de lei sobre a Vigilância das Doenças Transmissíveis no município

Na manhã desta quinta-feira (07/5), a vereadora Sofia Cavedon (PT) teve audiência com secretário municipal da Saúde, Fernando Ritter, quando tratou de várias pautas.

Kinder

Sofia estava acompanhada com a presidente da Kinder, Dra. Bárbara Fischinger, a vice-presidente Bettina Veirneisel, a superintendente Solimar Amaro e a coordenadora Clínica, Daniela Ilha. No encontro, foi tratado o atendimento precoce de bebês, que a Kinder realiza, e sobre as possíveis parcerias da entidade com a pasta da Saúde.

Doenças Raras

A vereadora Sofia solicitou ao Secretário da Saúde que a Pasta se inclua na nova Política Nacional de Atenção Integral às Pessoas com Doenças Raras, instituída pelo Governo Federal através da Portaria 199, de 30 de janeiro de 2014.

Conforme a parlamentar, a nova política tem como objetivo reduzir a mortalidade, contribuir para a redução da morbimortalidade e das manifestações secundárias e a melhoria da qualidade de vida das pessoas portadoras.

São consideradas doenças raras aquelas que afetam até 65 pessoas em cada 100.000 indivíduos, a maioria (80%) causada por origens genéticas. Outras causas podem ser infecções (bacterianas ou virais), alergias e causas. As enfermidades raras são, geralmente, incapacitantes, uma vez que muitas delas são crônicas, degenerativas e, frequentemente, fatais. Quase metade dos casos se manifesta logo na infância, sendo a segunda maior causa de mortalidade infantil no Brasil.

Entenda Melhor a Política Nacional de Atenção às Pessoas com Doenças Raras

Projeto de lei fortalece a Vigilância das Doenças Transmissíveis

Sofia Cavedon também apresentou ao Titular da Pasta projeto de lei desua autoria, que trata sobre a garantia do recebimento das notificações das doenças de notificação compulsória nas 24 horas, de forma permanente.

A vereadora explica a proposta, pois, para além do trabalho diário de segunda a sexta-feira, a equipe da Vigilância das Doenças Transmissíveis presta suporte técnico durante as 24 horas (atendimento telefônico-celular) e orienta medidas urgentes de prevenção a serem tomadas pelos profissionais dos serviços de pronto atendimento, urgências hospitalares, Unidades de Terapia Intensiva de hospitais e consultórios privados.

Também é de competência dessa equipe, ressalta a vereadora, monitorar e avaliar situações de riscos potenciais à saúde dos porto-alegrenses que sejam observadas no panorama estadual, nacional ou internacional (agravos inusitados e/ou emergentes) bem como identificar eventuais alterações no comportamento de doenças endêmicas.

Leia aqui a íntegra do projeto de lei.