sábado, 23 de maio de 2015

Relatório da Rede Lilás é apresentado na Capital

Somente no ano passado, mais de 25 mil mulheres registraram que sofreram agressões no RS

A vereadora Sofia Cavedon (PT) participou nesta sexta-feira (22), no Palácio do Ministério Público, do lançamento do Relatório Lilás 2014, que contou com a presença da ministra da Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República, Eleonora Menicucci, e do ministro de Direitos Humanos, Pepe Vargas.

O Relatório é um documento permanente do Parlamento gaúcho. Foi organizado pela Frente Parlamentar dos Homens pelo Fim da Violência Contra a Mulher e publicado pela Comissão de Cidadania e Direitos Humanos da Assembleia Legislativa. O livro tem 168 páginas e traz como tema principal a discussão sobre as políticas públicas de gênero nos últimos quatro anos no Rio Grande do Sul, seus avanços e desafios. A publicação serve de fonte para reflexão e implementação de políticas públicas de enfrentamento à violência.

O documento mostra estatísticas do Observatório da violência contra as mulheres da Secretaria de Segurança Pública do Estado. Analisando a relação das vítimas com os assassinos, verifica-se que quase 70% dos crimes, sete em cada dez feminicídios, foram praticados por homens com relação próxima da vítima, normalmente maridos, companheiros, namorados ou ex. Observando as estatísticas se vê que o ciclo da relação é rompido pela mulher após anos de sofrimento. Os dados ainda mostram que metade das mulheres mortas possuíam filhos com os autores dos crimes, que muitas vezes são praticados de forma cruel na frente das crianças.

Nos últimos três anos, 6.585 mulheres em situação de violência doméstica e familiar foram atendidas pela Rede Lilás no RS. Com as políticas de Estado, atendimento às vítimas e campanhas, houve redução total de 25% nos crimes contra mulheres e meninas (101 em 2012 para 75 em 2014), e os estupros reduziram quase 19% (1.374 em 2012 para 1.051 em 2014).

O Coordenador do Movimento Nacional de Homens Parlamentares e Frente Parlamentar pelo Fim da Violência contra as Mulheres, da Assembleia Legislativa, o deputado Edegar Pretto (PT) lembra que a origem do machismo está na desigualdade e menosprezo da vida das mulheres. O parlamentar salienta que os dados e reflexões do Relatório Lilás reforçam a importância de políticas públicas que mantenham e ampliem mecanismos de segurança e integridade das mulheres.

Fonte: Portal da AL/RS.

Veja também: 
Ministra cobra do governo Sartori retomada de interlocução