segunda-feira, 4 de maio de 2015

Sofia veste preto em solidariedade aos e às educadoras do Paraná

Foto Marta Resing
Em repúdio ao abuso de autoridade, humilhação e violência contra às e os professores, que tratou o governador do Paraná, Beto Richa (PSDB), a vereadora Sofia Cavedon (PT) trabalhou nesta segunda-feira (03/5) de preto.

Sofia, na sexta-feira, dia 29 de abril - Dia Mundial da Educação -, mesmo dia em que os professores e professoras foram massacrados pela Polícia de Richa transformando o Centro Cívico de Curitiba em um cenário de guerra, já havia protocolado na Câmara Municipal de Porto Alegre, uma Moção de Repúdio ao Governo do Estado e Comando da Polícia Militar do Paraná.

A atitude da parlamentar nesta segunda também é em solidariedade aos e às educadoras que se manifestavam legitimamente em frente à Assembleia Legislativa do Paraná, lutando contra a aprovação de um PL que altera Previdência Social da categoria e coloca em risco a aposentadoria das e dos educadores, que após o massacre foi aprovado pelos deputados da base do governo do PSDB.

Na tribuna da Casa Legislativa, a parlamentar explicou.: "Estamos de preto junto com todos os professores do Brasil em solidariedade aos educadores do Paraná, que foram massacrados pelo governo de Beto Richa (PSDB) quando lutavam em defesa de seu plano de previdência". Sofia lamentou que Richa não tenha dialogado com os servidores, preferindo distribuir a eles balas de borracha e ataques de cães da Polícia Militar.

A vereadora anunciou que, nesta terça-feira (05/5), os professores gaúchos se manifestarão em frente à Assembleia Legislativa em solidariedade aos paranaenses, às 10 horas, e, ao meio-dia, da panfleteação na esquina democrática. "Além disso, no dia 29 de maio, vamos construir mobilizações nacionais contra as terceirizações, que prejudicam os trabalhadores", antecipou.