terça-feira, 23 de junho de 2015

Cece discute apoio a projeto contra a violência escolar

Foto Michel Cortez/CMPA
Desenvolvido por professores e pensado para atingir mais de 500 alunos de cinco diferentes escolas estaduais, o projeto interdisciplinar "Violência e/ou educação: por onde anda a escola?" necessita de recursos para sair do papel. Na tarde desta terça-feira (23/6), a Comissão de Educação, Cultura, Esporte e Juventude (Cece) recebeu educadores que colaboram com a iniciativa. Deles, os vereadores escutaram a explicação da proposta em questão e um pedido de colaboração para que a Câmara apoie os eventos com início no mês de setembro.

Um dos idealizadores do projeto, o professor Jayme Vianna explicou que a proposta se divide em quatro "culminâncias", grandes encontros tendo cada um deles um tema específico para nortear o debate, como a mediação de conflitos, os direitos humanos e o ensino técnico. Além das "culminâncias", 27 saídas pedagógicas com os alunos estão previstas. Uma delas, conforme o educador, poderia ser uma visita à própria Câmara Municipal. "Sempre digo aos meus alunos que, querendo ou não, nós somos seres políticos. Uma oportunidade deste tipo seria bastante importante sob o ponto de vista da educação social, até mesmo para desconstruir uma ideia negativa que muitas pessoas têm a respeito dos nossos representantes", argumentou.

Foto Michel Cortez/CMPA
Após a explanação, Jayme contou que o grupo precisa de apoio para tornar a programação realidade. São necessários banners para divulgação, auxílio com ônibus para o transporte dos alunos, impressão de livros e boletins informativos, passagens aéreas de palestrantes, entre outros itens. "Isso se justifica pois pretendemos minimizar e conscientizar este grupo de jovens sobre o problema da violência nas escolas", indicou o professor.

Os vereadores Reginaldo Pujol (DEM), Dinho do Grêmio (DEM), Tarciso Flecha Negra (PSD) e Sofia Cavedon (PT) estavam presentes e se colocaram à disposição para contribuir com o projeto.

No entanto, Pujol, também presidente da Cece, ponderou que, em função do controle exercido sobre os gastos públicos e das limitações orçamentárias da Câmara, nem tudo poderia ser custeado. Como encaminhamentos, a Câmara se prontificou a apoiar politicamente, fornecer 20 banners e 500 boletins informativos. Para tentar viabilizar a vinda de uma palestrante do Rio de Janeiro, a possibilidade de a Cece realizar um dos eventos será estudada.

Fonte: Portal da CMPA.