quarta-feira, 15 de julho de 2015

Governo Sartori congela salário do funcionalismo

Servidores falam em greve geral

Foto Guilherme Santos/Sul21A
O servidores saíram decepcionados da Assembleia, mas não exatamente surpresos, pois sabiam que o governo tinha maioria para aprovar o projeto. Os sindicatos prometem intensificar a mobilização e falam da possibilidade de uma greve geral unificada em todo o Estado. O Sindicato dos Servidores Públicos do Estado (Sindsepe/RS) convocou uma assembleia geral para esta sexta-feira (17), às 9h30min, no auditório do CPERS Sindicato (rua Alberto Bins, 480/9º andar). Na pauta, a mobilização da categoria contra as propostas do governo Sartori que retiram direitos e congelam os salários dos servidores.

Por Marco Weissheimer - Matéria publicada no Portal Sul21

A base parlamentar do governo José Ivo Sartori (PMDB) na Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul adotou a tática do silêncio para aprovar nesta terça-feira (14), o projeto da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para 2016. O PL 177/2015, aprovado por 31 votos a 19, estabelece entre outras coisas que os gastos do próximo ano não serão maiores do que 3% em relação a 2015. Isso significa, na prática, o congelamento dos salários dos servidores, pois o percentual de 3% cobre apenas o aumento vegetativo da folha.

Foto Guilherme Santos/Sul21A
Em uma sessão tensa e tumultuada, que iniciou por volta das 14 horas com o Grande Expediente do deputado Adão Villaverde (PT), os deputados governistas assistiram completamente calados a dezenas de pronunciamentos da oposição e a manifestação ruidosa e indignada de centenas de servidores que lotaram as galerias do plenário e protestaram contra o projeto que prevê, entre outras coisas, o congelamento do salário dos servidores. Uma cena simbolizou bem a tática do governo: alheio ao clima e tensão no plenário com a pressão das galerias lotadas de servidores, o deputado Ibsen Pinheiro (PMDB) passou boa parte da tarde lendo calmamente uma revista enquanto se desenrolava a sessão.

Professores, policiais, profissionais da saúde, do Judiciário e de outras áreas saíram da Assembleia falando em organizar uma greve geral em todo o Estado.

Foto Guilherme Santos/Sul21A
Se, por um lado, o governo Sartori obteve uma vitória parlamentar com a aprovação na LDO, por outro lado, ela pode ter um alto custo político. Os servidores públicos que acompanharam toda a sessão nas galerias ou fora delas saíram da Assembleia indignados não só com o teor da mesma, mas também com a postura da base do governo que não se manifestou durante toda a tarde, temendo a vaia das galerias. Professores, policiais, profissionais da saúde, do Judiciário e de outras áreas anunciaram, ainda nas galerias do plenário 20 de setembro o caminho que devem adotar para enfrentar o receituário proposto por Sartori: greve geral. Vários deputados da oposição advertiram a bancada do governo o caminho que estava sendo construído com a decisão de não dialogar com os servidores.

Leia a íntegra da matéria no Portal Sul21.