terça-feira, 18 de agosto de 2015

Procuradoria da Mulher e Frente Parlamentar vistoriam atendimento a moradores de rua de Porto Alegre

Foto Marta Resing
Muito difícil o cotidiano do atendimento aos moradores de rua, desde a terceirização, que muitas vezes não garante a equipe completa e que já é pequena, o lugar insalubre,  e faltam vagas e alternativas ocupacionais e de renda.Sofia Cavedon.

Equipe da Câmara Municipal da Capital esteve no Centro POP II nesta terça-feira

Matéria publicada no Portal do Correio do Povo

A falta de pessoal e de estrutura para atender a demanda de moradores de rua foi identificada por uma equipe da Câmara Municipal de Porto Alegre nesta terça-feira (18) no Centro POP II, na rua Voluntários da Pátria.

Foto Marta Resing
vereadora Sofia Cavedon (PT) que é responsável pela Procuradoria da Mulher e pela Frente Parlamentar da Situação Rua, disse que um relatório será enviado para o Ministério Público do Estado e para a Defensoria Pública com informações da situação do local. Conforme ela, a ideia era apurar denúncias de más condições de trabalho dos terceirizados, além do suporte prestado para o gênero feminino.  “Os banheiros estão muito sujos e não há equipe suficiente para prestar o serviço”, afirmou a parlamentar.

A presidente do Conselho Municipal dos Direitos da Mulher, Vera Daisy Barcellos, esclareceu que esta fase é de identificação da realidade e das necessidades. Periodicamente o grupo faz visitas a unidades de apoio. No local, alguns usuários reclamaram das regras impostas às mulheres, como o horário para utilizar o banheiro, por exemplo. Outra demanda é por oficinas profissionalizantes.

Cerca de 160 pessoas atendidas por dia no local

Foto Marta Resing
O presidente da Fundação de Assistência Social e Cidadania (Fasc), Marcelo Soares, esclareceu que existe um projeto para reformar a estrutura de várias unidades, inclusive o Centro POP II. Uma licitação deve ser lançada para implantar o novo modelo, mais adequado à atual realidade do serviço. Os banheiros serão contemplados e devem atender melhor ao público feminino, segundo ele. Somente no Centro POP II, serão empregados de R$ 60 mil a R$ 80 mil.

A previsão é de que sejam abertas 180 vagas em um novo serviço de fortalecimento de vínculos. Um dos pontos ficará na região central de Porto Alegre e outro em um local a ser definido. “Existe uma grande demanda”, ressaltou, lembrando que 72 profissionais serão contratados em um primeiro momento, além disso a Fasc abrirá 355 vagas em um concurso.

Foto Marta Resing
O último levantamento mostrou que existem 1,5 mil moradores de rua em Porto Alegre. Outro estudo deve ser iniciado este ano para realizar novo diagnóstico. As informações irão embasar as políticas públicas para a área.

Foto Marta Resing
O Centro Pop II é um Centro de Referência Especializado para População em Situação de Rua. Ele foi inaugurado no final de 2013 para promover atendimento social a adultos, idosos e famílias, de forma individualizada e coletiva, durante o período do dia. No local há alimentação, banho e tanques para lavagem de roupas. O espaço também tem uma biblioteca. A média é de 160 pessoas atendidas por dia.

Fonte: Portal do  Correio do Povo.