quinta-feira, 19 de maio de 2016

Alimentação saudável e segurança alimentar em pauta

Foto ‎Lupe Menezes
No período de Comunicações Temáticas desta quinta-feira (19/5), a Câmara Municipal de Porto Alegre abriu espaço para tratar de Alimentação Saudável e Sistema de Segurança Alimentar e Nutricional (Sisan).

Representando o Fórum Estadual de Segurança Alimentar e Nutricional Sustentável (Fesan), Henrique Schuster citou os objetivos do Sisan, como elaborar e preparar os planos na área de Segurança Alimentar. “É uma ação de forma integrada, que deve envolver vários setores governamentais e da sociedade civil.”

Foto Leonardo Contursi/CMPA
Segundo ele, o Programa Nacional de Segurança Alimentar conta com oito eixos, que vão desde a preocupação com o acesso ao alimento, às relações internacionais, bem como ver a água e a saúde dentro dessa questão, além de ações nas comunidades indígenas, quilombolas e populações tradicionais. “Em Porto Alegre, o sistema tem um nome próprio, que é Simsan, e foi criado na mesma época que o nacional”, informou.

Schuster destacou, ainda, que os planos nacional e estadual já estão prontos. “Porto Alegre precisa também fazer o seu Plano Municipal de Segurança Alimentar. Tem que atender e compatibilizar as demandas da sociedade civil com o Plano Plurianual do Município”, complementou.

Foto Leonardo Contursi/CMPA
A nefrologista e coordenadora do Núcleo Interdisciplinar de Prevenção de Doenças Crônicas na Infância na Ufrgs, Noemia Goldraich, falou sobre uma pesquisa feita com crianças da rede municipal de educação infantil. “Se a criança não se acostumar a comer adequadamente nesta fase, depois fica muito mais difícil com o passar do tempo”, explicou. “Quanto mais precocemente a gente intervir, mais chance a gente tem de reverter o sobrepeso.”

Disse, ainda, que sobrepeso e obesidade estão na base de muitas doenças, como diabetes, hipertensão arterial, doenças vasculares e doença renal crônica. “É a principal causa de mortalidade e morbidade.”

Pressão 

A vereadora Sofia Cavedon (PT), propositora da tribuna, destacou o projeto dela, aprovado na Câmara, para incentivar a redução do consumo de sal e evitar a hipertensão. Afirmou que o Legislativo sofreu forte pressão do Sindicato de Bares e Restaurantes por causa de uma sugestão, que constava no projeto, para restringir a oferta de saleiros nas mesas. Ressaltou a importância do Sisan. “Porto Alegre aderiu e precisa fortalecer as ações para cumprir esse papel do direito sagrado à alimentação saudável e à qualidade de vida.”