sábado, 13 de agosto de 2016

Entidades sindicais lançam Frente Sindical em Defesa do Serviço Público

A vereadora Sofia Cavedon (PT) participou do encontro realizado no auditório do Cpers.

Por Greici Oliveira

Foto Cpers
Nesta sexta-feira, dia 12, às 18, o CPERS juntamente com diversas entidades sindicais e representativas dos funcionários públicos lançaram a Frente Sindical em Defesa do Serviço Público. O encontro ocorreu no auditório da sede do Sindicato. O objetivo do movimento é fazer a defesa do serviço público nas três esferas (municipal, estadual e federal), além de esclarecer a população os ataques que os servidores estão sofrendo, o que irá prejudicar toda a sociedade.

Na abertura do evento a diretora da Central Única dos Trabalhadores do RS, Vitalina Gonçalves ressaltou que a Frente Sindical em Defesa do Serviço Público é fruto de três meses de reuniões entre as entidades, com o principal objetivo de defender os serviços públicos no âmbito municipal, estadual e federal.

Participaram da mesa de lançamento da Frente Sindical, o diretor do CPERS, Cássio Ritter, a diretora da CUT/RS, Vitalina Gonçalves, a diretora do Semapi, Maria Helena, Andreia Nunes do Sindicato dos Professores Leopoldenses (Ceprol), o presidente do Sindisepe/RS, Cláudio Agostin, o presidente do Sindiserf/RS, Marizar Melo, o deputado federal, Paulo Pimenta e a deputada estadual, Stela Farias.

Cada representante na mesa falou sobre os principais Projetos de Lei que atacam o serviço público e os servidores, entre eles o PLP 257/16, que renegocia as dívidas dos estados em troca de medidas de ajuste fiscal e arrocho nos servidores. Apesar da resistência do movimento sindical, o texto-base foi aprovado por 282 votos a favor e 140 contra, na madrugada desta quarta-feira (10) no plenário da Câmara dos Deputados. Outro projeto que ataca o serviço público é a PEC 241/16, que limita o crescimento de gastos públicos federais por 20 anos e acaba com o investimento obrigatório em saúde pública e educação vinculado às receitas, conforme prevê a Constituição Federal. A medida foi aprovada nesta terça-feira (9) na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara por 33 votos a favor e 18 contra.

O diretor do CPERS, Cássio Ritter ressaltou que o momento pelo qual passam os servidores públicos é de resistência para a defesa dos direitos. Também destacou os principais ataques aos educadores, entre eles o PL 44, o qual entrega as escolas para Organizações Sociais. “Precisamos nos unir, ir para nossas bases para debater e construir juntos a defesa dos nossos direitos.  E a Frente Sindical em Defesa do Serviço Público será indispensável para a unidade em defesa dos nossos direitos”, concluiu.

Foto Dica Sitoni
No encerramento do encontro foi lido o Manifesto de Lançamento da Frente Sindical em Defesa do Serviço Público, o qual foi entregue simbolicamente para os deputados Paulo Pimenta e Stela Farias.

Agenda de Trabalho da Frente Sindical em Defesa do Serviço Público

– Participação no Ato Estadual Unificado em defesa da CLT e da Justiça do Trabalho e contra a Reforma da Previdência, na próxima terça-feira, dia 16. A atividade ocorrerá a partir das 7 horas da manhã, em frente à Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul (Fiergs), na Avenida Assis Brasil, zona norte de Porto Alegre;
– Frente Sindical em Defesa do Serviço Público já construiu um panfleto o qual as entidades podem reproduzir, para dialogar com a população, denunciando os principais ataques do governo aos serviços públicos;
– Reproduzir nas regiões do Rio Grande do Sul a Frente Sindical em Defesa do Serviço Público, com o objetivo de tornar mais próximo a base;
– Dia 23 de agosto reunião da Frente Sindical em Defesa do Serviço Público, às 18h, no 9º andar da sede do CPERS.

Veja o Manifesto de lançamento da Frente Sindical em Defesa do Serviço Público

Fonte: Portal do Cpers.