terça-feira, 16 de agosto de 2016

Eu gosto de histórias - Por Sofia Cavedon

Eu gosto de histórias.
É o resultado do encontro
de cada pessoa, seu jeito, talento, emoções, sonhos
com os processos, caminhos, escolhas coletivas

Fazer política é fazer história.
Por muito tempo, poucos determinaram como seria a nossa história reproduzindo a exclusão dos que nasciam em família pobre, sem terra ou casa para morar, sem trabalho digno, negros e negras, de religião que não a oficial, de sexualidade que não hétero...

O povo brasileiro lutou muito e construiu o que chamamos DEMOCRACIA: a conquista do direito a
definir a própria história, a da nossa cidade, a do país.

Então, ela começou a mudar.
Apesar de continuarem nos contando a sua versão pela força da mídia, que concentram em suas mãos – TVs, jornais, rádios – os privilegiados de sempre estão perdendo para a tomada na mão, por cada um e cada uma, das decisões sobre suas histórias.

É com a consciência de que quando votam, as pessoas nos colocam parte do poder sobre as suas vidas
que zelamos pela cidadania, teimamos para que as decisões da cidade sejam transparentes, atendam os que mais precisam, sejam resultado da escuta e construção coletiva.

Nesses mandatos de vereadora fomos encharcados e crescemos com muitas histórias, celebramos vitórias, mas, muito mais, sofremos junto com a necessária luta de resistência diante dos últimos governos municipais que mostraram mais compromisso com a especulação, exploração das terras e serviços por empresas do que construir direitos para todos e todas e valorizar as políticas e funcionários municipais.

Chegou mais um momento decisivo para o caminho da democracia em Porto Alegre. Vamos escolher o novo governo e as vereadoras e vereadores da Câmara.

Vem com a gente mudar a história de Porto Alegre para que a tua, a minha, a nossa história sejam de verdade resultado da intensa vida participativa, plural, inclusiva, segura e feliz, que uma gestão realmente democrática da cidade pode produzir.


Por uma Educação sem mordaça e uma Cultura sem amarras.