quarta-feira, 26 de outubro de 2016

Estudantes do Curso de Letras aderem a movimento nacional e ocupam prédio na UFRGS

Foto Ocupa Letras
Mais de 300 estudantes participaram da assembleia que antecedeu a ocupação do prédio

Em protesto à Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 241, que estabelece um teto de gastos para áreas essenciais pelo período de 20 anos, e à Reforma do Ensino Médio, estudantes de Letras da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) ocuparam, na manhã desta quarta-feira (26), o prédio do curso, no Campus do Vale. A ocupação na UFRGS integra o movimento nacional que vem ocorrendo em outros Estados, principalmente no Paraná.

Antes de partirem para a ocupação, os estudantes fizeram uma assembleia que contou com a participação de mais de 300 alunos. Integrante do movimento, a estudante Fabiana Lontra afirmou que 10% dos alunos do curso participaram da assembleia, legitimando as decisões. “É mais uma ação de força ao movimento que já é nacional”, ressaltou ela. A ocupação também é contra o projeto da Escola sem Partido.

A ocupação do prédio de Letras, conforme a estudante, “é o pontapé” para que outros cursos da UFRGS se somem à mobilização nacional. Na assembleia, os estudantes decidiram solicitar à Reitoria da universidade uma posição sobre atuação da Brigada Militar, que entrou no campus, no centro da Capital, e jogou bombas de gás em manifestantes que se refugiaram no local, na noite de segunda-feira (24), durante protesto contra a PEC 241. “É ilegal, a Brigada não pode entrar num campus federal”, argumentou Fabiana.

Na ocupação, serão promovidos filmes, oficinas e aulas públicas. “Vamos ocupar o prédio com cultura, com conhecimento”, comentou a estudante.

UFRGS se manifesta

Em nota divulgada na tarde desta quarta-feira, a reitoria da UFRGS informou que foi comunicada por estudantes do Curso de Letras sobre a ocupação e seus motivos. Também afirmou que está aberta ao diálogo com os integrantes da ocupação e “espera que haja o menor prejuízo possível às atividades eletivas.”

Em relação à PEC 241, a UFRGS disse que, no dia 4 de novembro, a Reitoria vai apresentar, no Conselho Universitário, uma avaliação sobre os feitos da medida para a universidade. Já sobre a Medida Provisória que alterou o Ensino Médio, a nota informou que as 11 universidades federais da Região Sul irão promover, também em 4 de novembro, o “Colóquio Regional Sul Ensino Médio: reflexões e propostas.” A atividade reunirá na UFRGS professores, estudantes, pesquisadores e técnicos-administrativos para uma jornada de debates sobre as alterações propostas pelo governo Michel Temer (PMDB) ao Ensino Médio.

Quanto à postura da Brigada, a Reitoria enfatizou que encaminhou ofício ao comando da corporação, demonstrando preocupação com o foto ocorrido no Campus Centro.

Fonte: Portal Sul21

Leia também:
Contra a PEC 241, estudantes ocupam mais de 1000 escolas em todo o Brasil