quinta-feira, 17 de novembro de 2016

Estudantes aprovam unificação de pautas e ocupação de mais um prédio da PUCRS

Os que tentam calar a educação provocaram uma onda de cidadania e protagonismo juvenil que valem mais que mil aulas - tamanha a intensidade de aprendizagens na vivência de quem toma para si, seu processo educativo...eu apoio, eu luto! #ForaTemer - Sofia Cavedon.

Por Luís Eduardo Gomes/Sul21

Foto Maia Rubim/Sul21
Em assembleia realizada na noite de quarta-feira (16), estudantes de diversos cursos da PUCRS decidiram unificar o movimento de ocupação iniciado na semana passada pelo prédio 7, da Faculdade de Comunicação Social (Famecos). Ainda ontem, um grupo de cerca de 25 estudantes ocupou o saguão do prédio 5, que abriga a Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas. Segundo os estudantes, o local foi escolhido por ser estratégico devido à sua proximidade com a Reitoria e pela grande circulação de alunos.

Na assembleia, que contou com a presença de cerca de 100 alunos e durou aproximadamente uma hora, os estudantes decidiram os rumos do movimento entre três alternativas (todas elas previam a manutenção da ocupação da Famecos): ocupar o prédio 5, ocupar o gramado diante do prédio 15 (central do aluno) e ocupar o prédio da reitoria. Por uma pequena margem, a primeira opção saiu vitoriosa.

Foto Maia Rubim/Sul21
Além disso, votaram a pauta das ocupações, também entre três alternativas: seguir a mesma pauta nacional das ocupações de escolas e universidades pelo país, acrescentar a isso a defesa por maior participação estudantil em decisões dentro da universidade ou, além dessas duas pautas, reivindicar ainda a ampliação da assistência estudantil para alunos da universidade. A votação definiu a adesão apenas à pauta nacional, que é a “luta contra a PEC 241/55, que prevê cortes de investimento em áreas essenciais como educação, saúde e assistência social; contra o PL Escola Sem Partido; contra a MP 746/2016, que prevê a reforma antidemocrática no ensino médio; e a luta contra o governo golpista de Michel Temer”.

Os estudantes decidiram também que, assim como está ocorrendo no prédio 7, as aulas do prédio 5 não serão interrompidas, com os manifestantes permanecendo apenas no saguão. “Nossa ideia não é inviabilizar e não é ocupar dentro da sala de aula, porque a ideia é dialogar com estudantes”, explica Jéssica Schaefer, estudante de História. “A gente sabe que estamos em uma universidade privada e faltam duas semanas para acabar as aulas, não queremos perdemos o nosso foco das pautas para transformar a ocupação em uma guerra contra a PUCRS”.

Foto Maia Rubim/Sul21
Os estudantes devem se reunir com representantes da Reitoria ainda nesta nesta quinta-feira. Segundo Jéssica, também devem definir a partir de agora um calendário de atividades, que deve incluir aulas públicas sobre os temas da pauta da ocupação.

Nesta manhã, as aulas no local transcorreram normalmente. O único momento de confusão ocorreu devido ao fato de seguranças da universidade terem passado a exigir, sem aviso prévio, a apresentação da carteirinha de aluno, o que fez com que um aluno fosse impedido de entrar no prédio 5. “Estou impossibilitado de acessar meu prédio porque eu tenho que apresentar carteirinha. Isso é um absurdo”, disse o estudante de História Paulo Navossat.

Ocupada a oito dias, a ocupação da Famecos segue em clima de tranquilidade. “O diálogo com a Reitoria se mantém e não tem previsão de desocupação. Não há nenhum tensionamento sério”, afirma a advogada dos estudantes, Ana Luiza Teixeria Nazário.

Fonte: Portal Sul21

Leia também:
Ocupar e Resistir! Nota do PT/RS em apoio aos e às estudandes
- Criada a Frente Parlamentar e Social em Defesa da Universidade