domingo, 13 de novembro de 2016

Ocupar e Resistir! Nota do PT/RS em apoio aos e às estudandes

Ocupar e Resistir! Nota em apoio às ocupação d@s estudantes e repúdio às ações de repressão contra @s estudantes!


Eu acredito é na rapaziada / Que segue em frente e segura o rojão
Eu ponho fé é na fé da moçada / Que não foge da fera e enfrenta o leão
Eu vou à luta com essa juventude/ Que não corre da raia a troco de nada
Eu vou no bloco dessa mocidade / Que não tá na saudade e constrói a manhã desejada
[Gonzaguinha]

Foto PT/RS
A juventude está dando exemplo de resistência e protagonismo na luta contra os ataques que o Governo Golpista de Michel Temer vem impondo para o conjunto do povo trabalhador. Em todo o país já são mais de 1000 escolas e mais de 170 universidades ocupadas pelos estudantes. Um movimento que cresce dia a dia enfrentando a repressão, a criminalização, a ofensiva dos setores conservadores e a notável invisibilidade midiática.

O projeto neoliberal e recessivo que está sendo implementado coloca também em xeque o caráter público da educação atingindo diretamente os estudantes, especialmente os estudantes trabalhadores e oriundos da classe trabalhadora. Uma das principais motivações das ocupações é a tramitação da PEC 241 e a PEC 55 que visam congelar a ampliação dos investimentos no setor primário como educação, saúde e assistência social. Com a aprovação das PEC´s, o sistema educacional público não estará apenas sendo estagnado e sim condenado a um sucateamento progressivo de no mínimo duas décadas. Nas universidades e institutos federais, os primeiros atingidos serão os estudantes cotistas e que demandam de assistência estudantil para permanecer na universidade, manifestando portanto, o caráter elitista das medidas e a desigualdade no acesso ao ensino técnico e superior.

Além das PEC´s do Fim do Mundo, o golpismo incide fortemente na educação pública com medidas de cunho essencialmente ideológico e conservador, como a reforma do ensino médio e o projeto Escola Sem Partido, melhor dizendo: Lei da Mordaça. Estas duas medidas objetivam centralmente limitar o acesso dos estudantes ao conhecimento e restringir a liberdade de expressão e tem gerado resistência e rebeldia dos estudantes secundaristas, sendo também pautas centrais das ocupações.

Ao colocar a grande política no comando das ações coletivas, as ocupações são exemplo de disciplina, planejamento, tomada coletiva das decisões, autonomia e divisão de tarefas. Uma demonstração de que os jovens atualmente não são sujeitos apáticos à participação política, pelo contrário, constroem mecanismos de debate e organização coletiva que opõe-se a pequena política e suas velhas e arcaicas práticas personalistas, paternalistas, fisiologistas e dos interesses individuais.

O partido dos trabalhadores do RS compreende os jovens como sujeitos do presente e atores políticos capazes de construir e mudar os rumos da história. Apoiamos e conclamamos toda militância dos estudantes petistas a somarem-se e continuarem contribuindo com a construção das ocupações. Repudiamos veementemente as ações de violência, difamação e ameaças contra os estudantes que legitimamente ocupam as instituições, bem como as ações orquestradas por grupos fascistas visando intimidar a estudantada. Repudiamos também o silêncio midiático na cobertura do movimento e a criminalização dos movimentos sociais pela grande mídia.

Direção Executiva do PT/RS
Novembro de 2016