sexta-feira, 18 de novembro de 2016

Procuradoria Especial da Mulher e Conselho Municipal das Mulheres visitam Casa de Apoio Viva Maria

Foto Estela Vilanova
Na manhã desta sexta-feira (18), a Procuradora Especial da Mulher da Câmara Municipal de Porto Alegre, vereadora Sofia Cavedon (PT), e a presidenta do Conselho Municipal da Mulher (COMDIM), Vera Dayse Barcellos, visitaram a Casa de Apoio Viva Maria

A ação faz parte do monitoramento realizado pela Procuradoria Especial da Mulher com apoio do COMDIM para verificar a rede de atendimento às mulheres em situação de violência no município. Na ocasião foram recebidas por Ana Lucia Dagord, Milene Russo, Lucia Fasolo e Luciane Machado, que fazem parte da a equipe técnica da Casa. 

Conforme a Procuradora Sofia Cavedon,no encontro a equipe apresentou o funcionamento, estrutura e desafios no atendimento às mulheres em situação de violência.   

Casa de Apoio Viva Maria

A Casa de Apoio Viva Maria é um abrigo protegido para mulheres em situação de violência doméstica e sexual, em risco de vida e/ou de novo episódio de agressão grave. Localizada em Porto Alegre, pertence ao programa municipal de albergues para mulheres vítimas de violência. Foi inaugurada em setembro de 1992, sob a gerência da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), conforme Lei 6919, de 1991, e Decreto 10172, de 1991.

A violência contra a mulher é um agravo à saúde e um crime e deve ter o atendimento articulado na rede de saúde. Por isso, a casa-abrigo, um serviço de saúde pública, é uma unidade especializada da SMS no atendimento às mulheres em situação de violência, conquistada através de muita luta pelo movimento de mulheres e feminista.

Além de moradia, a Casa de Apoio Viva Maria oferece um programa de assistência integral, onde são desenvolvidas ações de saúde, apoio psicológico, social e jurídico, orientação ocupacional e pedagógica, visando a proteção à integridade física e psicológica da mulher e seus filhos e filhas em situação de violência doméstica. O programa visa contribuir na autonomia  e constituição de um plano singular terapêutico que permita a ruptura com o ciclo de violência e a garantia de liberdade destas mulheres.

De acordo com as profissionais, se faz necessário a criação de um equipamento intermediário, uma Casa de Passagem que possa acolher mulheres em situação de vulnerabilidade social, juntamente com seus filhos e filhas, a exemplo do Projeto da Casa Lilás, pois a Casa de Apoio Viva Maria, é um equipamento em local sigiloso para mulheres em situação de risco de vida em função de violência doméstica.  

Como procurar o serviço:

O endereço da casa é sigiloso. Para chegar até o abrigo, a mulher deve primeiro ser atendida nos serviços de saúde, na Delegacia para a Mulher, nos conselhos tutelares, o em qualquer outro serviço da rede municipal de Porto Alegre.