quarta-feira, 15 de março de 2017

Ato do CPERS marca Dia Nacional de Paralisação contra a reforma da Previdência

Por Greici Oliveira/CPERS

Foto Guilherme Santos/Sul21
Na tarde desta quarta-feira, dia 15, professores e funcionários de escola realizaram o segundo Ato Público Estadual da Greve em frente ao Palácio Piratini e Assembleia Legislativa. A mobilização faz parte da agenda de ações que o CPERS irá realizar durante a Greve Nacional da Educação. A greve chamada pela Confederação Nacional de Trabalhadores em Educação – CNTE, já contabiliza adesão de mais de um milhão de professores e outros profissionais pelo país.

A Reforma da Previdência, a qual define idade mínima de 65 anos para aposentadoria e exige 49 anos de contribuição de homens e mulheres para a aposentadoria integral,o que acaba com a aposentadoria, por isso é a principal pauta dos educadores e demais trabalhadores,

Educadores pressionam deputados durante a mobilização

Foto Cpers
Os educadores foram divididos em grupos para visitar os 55 gabinetes dos deputados estaduais, com o objetivo de pressioná-los para evitar não somente a aprovação das PECs da maldades que estão na Assembleia, mas também a reforma da Previdência.

Durante as visitas professores e funcionários de escola entregaram uma carta com a posição do CPERS referente as PECs do Pacote de Maldades do governo Sartori e a reforma da Previdência, e também solicitaram que os parlamentares gravassem um vídeo expondo sua posição quanto à PEC 287.

Na volta da atividade cada grupo expôs as suas visitas, declarando a posição dos deputados encontrados em seus gabinetes.

A presidente do CPERS, Helenir Aguiar Schürer declarou que cada vídeo com o posicionamento dos deputados serão colocados no site e nas redes sociais do Sindicato, mostrando quem é contra, a favor ou se negou em gravar. “Agora em época de eleições nós teremos o voto na ponta da língua de quem ficou contra os trabalhadores”, finalizou.

Os educadores partiram em caminhada até a Esquina Democrática para participarem do Ato – Dia Nacional de Paralisação contra a reforma da Previdência, juntamente com centrais sindicais, movimentos sociais e sindicatos.

Fonte: Portal do CPERS