quarta-feira, 17 de maio de 2017

Bancada do PT afirma que “Há um escândalo em curso na prefeitura”

Foto Rozane Dalsasso 
“Há um escândalo em curso na prefeitura, em nossa avaliação.” Ao fazer esta afirmação, Sofia Cavedon, líder da Bancada do PT, denunciou nomeações de servidores em cargos em comissão (CC), que estão sendo publicados no Diário Oficial do Município, com datas retroativas a partir de fevereiro, beneficiando pessoas que eram apontadas como trabalhadores voluntários e que estavam responsáveis pela avaliação de currículos inscritos no chamado Banco de Talentos.

Sofia disse que, verificando-se o currículo daqueles que faziam a seleção, foi observado alinhamento com o partido do prefeito. “Eles não têm isenção técnica ou qualidade que justifique a nomeação e, sim, identidade política”, enfatizou a vereadora.

Para Sofia, a cada dia cai a máscara do Prefeito moderno, que faz jogo de cena com a população como a demissão de CCs e logo depois, recontratando os mesmos. “Agora o Prefeito começa a nomear os voluntários do Comunitas que estavam na coordenação do Banco de Talentos. Esse Prefeito é uma enganação.”, afirma. A vereadora disse também que a Bancada do PT entrará com uma representação no Ministério Público para que sejam averiguadas essas contratações.

Suspensão da Comunitas

Foto Leonardo Contursi/CMPA
Sofia celebrou a suspensão do contrato com a Comunitas, lembrando que ela e o vereador Marcelo Sgarbossa, no dia 07 de abril entraram com uma representação no Ministério Público de Contas (MPC). O documento, entregue ao procurador-geral do MPC, Geraldo da Camino, solicitava que o órgão averiguasse o Termo de Cooperação da Prefeitura com consultorias e empresas como a “Comunitas: Parcerias para o Desenvolvimento Solidário”, a fim de cientificar a devida adequação legal e a não existência de danos ao erário público.

A determinação da suspensão foi da liminar do Sindicato dos Municipários de Porto Alegre (Simpa), que também questionou a legalidade do acordo com organização da sociedade civil sediada em São Paulo. A suspensão ocorreu nesta quarta-feira (17), pela juíza Andréia Terre do Amaral, da 3ª Vara da Fazenda Pública de Porto Alegre, por entender que há indícios de várias irregularidades no mesmo.

A Bancada do PT, composta pelos vereadores Aldacir Oliboni, Adeli Sell, Marcelo Sgarbossa e Sofia Cavedon.

Leia também:
Juíza suspende acordo firmado pela Prefeitura de Porto Alegre com a Comunitas
- Bancada do PT questiona no MPC as consultorias contratadas por Marchezan