terça-feira, 30 de maio de 2017

Com mais de um século de atividade pública, Companhia Carris vive dias dramáticos

Foto Marta Resing
Prestes a completar 145 anos de serviço público, no dia 19 de junho, a Companhia Carris Porto-alegrense vive dias dramáticos, com servidores/as sendo ameaçados/as, revistados/as e com uma frota sem manutenção, provocando a rotina de superlotação com a redução de horários de circulação das linhas que atende. 

Em uma segunda reunião com o secretário municipal de Infraestrutura e Mobilidade Urbana (Smim), Elizandro Sabino, realizada nesta terça-feira (30), representantes dos funcionários/as entregaram documento com 19 itens apontando uma série de reclamações sobre a postura da nova direção da empresa, que assim como o Prefeito, não dialoga.

Foto Marta Resing
Presente no encontro, a vereadora Sofia Cavedon (PT), integrante da Frente Parlamentar em Defesa da Carris, condenou o modo autoritário da nova gestão, encabeçada pela presidente da Companhia, Helen Machado, que não compareceu à reunião. “É lamentável essa atitude da direção, que não ouve a experiência e o conhecimento dos/as funcionários/as, ao contrário, desrespeitam a categoria com advertências nas suas fichas funcional e ameaça diária de privatização da Companhia que atende as e os porto-alegrenses há mais de um século”, destacou Sofia.

Foto Marta Resing
Na reunião, o representante da Comissão dos/as Funcionários/as, Cristiano Soares, reclamou da falta de diálogo. “Não nos receberam em conjunto nenhuma vez, e quando somos recebidos não nos deixam falar”, criticou.

Entre os outros pontos destacados no documento entregue ao titular da Smim foram cobrados a volta de programas de qualificação que acabaram na atual gestão. A contratação de um profissional de serviço social, a volta da ouvidoria da empresa e a garantia do pagamento de gratificações e acordos coletivos não cumpridos, além da reposição salarial do dia 28/04, dia da greve geral.

Diante da ausência da presidente Helen Machado, os funcionários avisaram ao secretário que aquela era a última tentativa de um diálogo. “Não descartamos a realização de uma assembleia para decidir sobre greve”, alertaram.

O secretário Elizando disse que é preciso abrir um canal de comunicação e informou que a diretoria ainda está fazendo um estudo aprofundado dos problemas da Carris. “O foco deles é tirar a empresa dessa situação” afirmou.

Foto Marta Resing
Servidores/as foram punidos/as

Mesmo a reunião tendo sido com o Secretário Municipal, a qual a Carris é submetida, e Elizandro Sabino afirmando que a Diretoria estava ciente do encontro, a direção da empresa puniu todos/as os/as funcionários/as que participaram, com advertência escrita e registro na ficha funcional. “Assim que chegamos na empresa, fomos punidos. Mas não será com retaliação que irão nos intimidar”, informa Cristiano Soares.

Também participaram do encontro o vereador Roberto Robaina (PSOL) e representação do vereador Clàudio Janta (SD).

Acesse aqui o documento entregue ao Secretário.

Com informações do Portal Já Porto Alegre

Veja também:
- Funcionários da Carris apresentam pautas para Secretário da Mobilidade Urbana
- Funcionários da Carris denunciam assédio da direção e ameaçam com greve
- Revistas e rotina de superlotação: servidores da Carris levam relatos à Assembleia Legislativa

- Conheça aqui a atuação de Sofia Cavedon em defesa da Carris